Executivos presos na Lava Jato deixam cadeia para prisão domiciliar

Foto: Vagner Rosário/Futura Press/Estadão Conteúdo
Foto sobre "Executivos presos na Lava Jato deixam cadeia para prisão domiciliar"
Creditos da imagem: O doleiro Alberto Youssef, preso da Lava Jato

Fonte: G1 / Paraná - Foto: Vagner Rosário/Futura Press/Estadão Conteúdo

Os nove executivos de empreiteiras presos na sétima fase da Operação Lava Jato, deflagrada pela Polícia Federal (PF) em novembro de 2014, deixaram a cadeia nesta quarta-feira (29). Ricardo Pessoa e Gerson Almada estavam na carceragem da PF, e os demais presos estavam no Complexo Médico-Penal de Pinhais, na Região Metropolitana da capital paranaense. Todos serão transferidos do sistema de regime fechado para a prisão domiciliar.

Eles são investigados por participar de um suposto “clube”, que, segundo o Ministério Público Federal (MPF), combinava preços e fraudava licitações da Petrobras. Ricardo Pessoa é apontado pelos investigadores como o organizador do clube. Os empreiteiros serão monitorados por uma tornozeleira eletrônica 24 horas por dia enquanto os processos são julgados.

Os beneficiados com a medida foram:

UTC
- Ricardo Pessoa

OAS
- José Aldemário Pinheiro Filho
- Mateus Coutinho de Sá Oliveira
- Agenor Franklin Magalhães Medeiros
- José Ricardo Nogueira Breghirolli

Engevix
- Gerson de Mello Almada, vice-presidente

Mendes Junior
-Sérgio Cunha Mendes, vice-presidente

Galvão Engenharia
- Erton Medeiros Fonseca, executivo

Camargo Corrêa
- João Ricardo Auler, presidente do Conselho de Administração

A decisão de soltar réus foi tomada pelo Supremo Tribunal Federal (STF), durante uma sessão da Segunda Turma, na terça-feira (28). Os ministros julgavam um recurso de Ricardo Pessoa, quando, ao final da sessão, o relator Teori Zavascki sugeriu que a medida fosse estendida para os outros oito réus.

Publicidade:

Comentários:

Suas informações de contato não serão divulgadas.