CROSSFIT - Crucifico ou lavo minhas mãos?

Assessoria de Imprensa Foto: Divulgação
Foto sobre "CROSSFIT - Crucifico ou lavo minhas mãos?"

Nos últimos anos o crossfit vem se popularizando e naturalmente gerando discussões diante das lesões que o acompanham.

Essa é uma prática esportiva intensa, em busca do menor tempo possível sem perder o controle técnico do movimento.

Essas características tornam esse exercício extenuante exigindo muito do sistema musculoesquelético.

Mas será que o crossfit lesiona mais que outros esportes?

Segundo Dr. Diogo Fagundes. médico ortopedista, isso é um mito que precisa ser desvendado. “ Segundo a literatura mundial, a taxa de incidência de lesões ortopédicas do crossfit foi similar ou menor quando comparado à de outras modalidades tais como futebol, ginástica olímpica, hóquei, basquete, etc.”

Portanto, é um equivoco dissipar informações não fundamentadas de que o Crossfit é o vilão das lesões ortopédicas.

Assim como em qualquer esporte, as lesões acompanham o atleta praticante de crossfit e as articulações mais afetadas são, ombros, coluna e joelhos.

Um artigo científico publicado no último mês no Journal of Surgery Orthopaedic Advances, confirmou que a taxa de lesões do crossfit é similiar à de outros esportes e acrescentou que no crossfit, as lesões estão ligadas à falta de supervisão em boxes despreparados ou em atletas que não aceitam orientação durante a atividade, este último fato ocorre mais em atletas do sexo masculino.

Por fim, destacou que as lesões foram mais frequentes em pessoas que frequentavam as aulas de forma irregular, atletas faltosos, ou nos que tinham pouca experiência (novatos) ou no outro extremo, os potenciais competidores que extrapolam a carga sem ainda ter endurance muscular para tal. Dr. Diogo Fagundes diz ”é tão difícil convencer o paciente a se exercitar e quando ele acha um esporte que te traz prazer, o médico tende a proibir.

Não gosto de crucificar o crossfit, no entanto oriento procurar equipe especializada e não se aventurar com curiosos. Caso haja dor, procure seu ortopedista para não atrasar seu tratamento.”

O médico ortopedista e traumatologista Dr. Diogo Fagundes tem formação pelo Hospital Miguel Couto, no Rio de Janeiro, é membro da SBOT- Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia, com fellowship em cirurgia do joelho pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, e membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia do Joelho, com passagem pelo Clube de Regatas do Flamengo.

Atende em consultório privado e se dedica também às teleconsultas, diminuindo distâncias entre médico e paciente.

Invista na sua saúde e agende uma consulta.

 

Via WhatsApp: 22 99224-6442 

 

Siga-me no Instagram

Leia Também: Dores nos joelhos: as causas, sintomas e principais lesões

Publicidade:

Comentários:

Suas informações de contato não serão divulgadas.