Governo de São Paulo anuncia retomada econômica a partir de junho

Retomada consciente busca abertura gradual de acordo sucesso dos municípios frente ao coronavírus

Fotos: Divulgação
Foto sobre "Governo de São Paulo anuncia retomada econômica a partir de junho"

O Governador João Dória, anunciou na tarde desta quarta-feira (27) uma nova etapa do Plano São Paulo, com o início da reabertura econômica gradual de alguns comércios em todo o Estado de São Paulo. A medida é chamada “Retomada Consciente” passa a vigorar a partir de 1 de junho (segunda-feira), quando a quarentena continua, mas com a retomada gradual de algumas atividades econômicas.

A reabertura será permitida nos municípios que tiverem redução consistente do número de casos de coronavírus, disponibilidade de leitos hospitalares e o respeito as medidas de distanciamento social e normas sanitárias. Para classificar a situação de cidade dentro dos parâmetros estabelecidos no plano de retomada, foram estabelecidas cinco bandeiras onde cada região será enquadrada dependendo dos seus dados de enfrentamento sobre o coronavírus, sendo que cada bandeira permite a reabertura gradual e econômica de suas cidades.

A medida busca dividir a responsabilidade entre os governos e a população, visto que fatores como isolamento social estão entre os parametros que permitem a reabertura das cidades. “Quero alertar que a retomada consciente passa do princípio da colaboração de todos e que estaremos monitorando diariamente o andamento das medidas”, afirmou João Dória, ao dizer que as medidas que serão flexibilizadas serão suspensas se não surtirem resultado ou agravarem a situação da pandemia no estado.

Segundo Dória, as medidas de contingencia feitas pelo governo foram efetivas na luta contra o coronavírus. No início, da pandemia São Paulo era responsável pela metade dos casos e mortes do Brasil envolvendo o covid-19, sendo que hoje o estado representa 1/5 dos casos e 26% das mortes de coronavírus no país. “A quarentena em São Paulo, desde o seu início, vai salvar 65 mil vidas até o fim de maio, dados que não são governamentais e sim da ciência”, afirmou o governador.

As fases de flexibilização são baseadas em cinco indicadores: a taxa de ocupação de leitos UTI / COVID, Leitos de UTI COVID por 100 mil habitantes, número de casos, número de internações e número de óbitos.

Ainda não foram especificados quais são as metas que devem ser atingidas para cada fase de flexibilização, porém com base nestes indicadores (que devem ser divulgados em breve) as regiões são classificadas dentro de uma bandeira, que mostra a fase do município frente a pandemia e que serviços recebem autorização para funcionar. As analises visam a condição da cidade e sua região em atender a capacidade de atendimento da população e o controle do coronavírus. Veja o quadro das bandeiras:

  • Fase 1 - Alerta máximo (bandeira Vermelha): fase de contaminação e liberação apenas de serviços essenciais.
  • Fase 2 - Controle (bandeira laranja): fase de atenção com eventuais liberações econômicas, onde atividades imobiliárias concessionárias, escritórios, comércios, e shopping centers podem ser abertos com restrições.
  • Fase 3 - Flexibilização (bandeira Amarela):  Fase controlada com maior liberação de mais atividades, onde atividades imobiliárias, concessionárias e escritórios ganham mais flexibilidade em suas atuações, enquanto comércios, shopping centers, salão de beleza e bares/ restaurantes poderão ser abertos com restrições.
  • Fase 4 – Abertura Parcial (bandeira verde): Fase decrescente, com menos restrições, onde atividades imobiliárias, concessionárias e escritórios ganham mais flexibilização enquanto comércios, shopping centers, salão de beleza, bares / restaurantes e academias poderão ser abertos com restrições.
  • Fase 5 – Normal Controlado (bandeira azul): Fase de controle da doença e liberação de todas as atividades com protocolos sanitários.

Segundo o Governo Estadual, os setores serão priorizados de acordo com a vulnerabilidade econômica e empregatícia. Serviços Essenciais, assim como setores de construção civil recebem autorização para funcionar em qualquer uma das fases, bem como as áreas de transporte públicos, porém ainda não há expectativa de volta das atividades escolares.

A classificação será disponibilizada para cada região e não por município, sendo que a cada sete dias haverá uma reclassificação de cada região, que somente poderá passar para uma nova fase se conseguir manter os índices positivos por 14 dias.

As flexibilizações devem ser feitas através de decretos de Prefeitos Municipais das áreas enquadradas em suas determinadas bandeiras, sempre observando os planos regionais.

Comentários:

Suas informações de contato não serão divulgadas.