Látex São Roque implementa ETE e está pronta para devolver água limpa aos rios

Projeto no valor de R$ 3 milhões

Da Redação: Rafael Barbosa
Fotos: Rafael Barbosa
Foto sobre "Látex São Roque implementa ETE e está pronta para devolver água limpa aos rios"
Creditos da imagem: Carlos Mello conversa com o diretor da Látex SR, José Luiz Gavazzi

O Jornal da Economia vem acompanhando, ao longo dos anos, o trabalho da empresa Látex São Roque, na implantação de sua Estação de Tratamento de Efluentes (ETE), cuja primeira fase foi apresentada em janeiro de 2016 e a segunda parte da operação entrou em funcionamento em fevereiro de 2018, em um projeto no valor de R$ 3 milhões. Ambas as ações foram divulgadas em reportagens do JE, que novamente visitou à fábrica para falar sobre os planos da empresa na preservação do meio ambiente.

Segundo o diretor da Látex SR, José Luiz Gavazzi, desde a implementação da ETE a empresa passou não apenas a tratar toda a água utilizada nos processos de fabricação dos produtos, mas a reutilizar o precioso líquido em ações diversas, já que atualmente o nível de eficiência da estação chega a aproximados 98%.

A empresa informou que também conseguiu regularizar todas as pendências com a Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (CETESB), obtendo todas as certidões, autorizações e alvarás, o que levou a empresa a realizar um planejamento de reuso da água, cujo nível de pureza fez com que a Látex SR chegasse ao plano de devolvê-la à natureza.

PUBLICIDADEJORNAL DA ECONOMIA JE

“Com esta situação, nós separamos todo o nosso lançamento doméstico do industrial e não queremos mais lançar essa água no esgoto, por ela ter uma qualidade melhor do que atualmente está no leito do rio da cidade”, afirmou Gavazzi.

De acordo com o diretor, para tornar esta iniciativa real, é necessária uma autorização da CETESB, que necessita de um levantamento hídrico e o consentimento da SABESP já que, sem usar a rede de esgoto da empresa, ela perde em arrecadação. A tramitação já estaria sendo realizada com os dois órgãos.

Um salto gigantesco para uma empresa que foi visitada pela nossa reportagem no passado devido a reclamação de populares sobre o despejo de água impura nos leitos do rio da cidade, o que acontecia, não apenas porque a empresa não possuía uma ETE, mas também porque a cidade não tinha uma estação de tratamento de esgoto.

Hoje a Látex investe pesado na preservação do meio ambiente e, segundo Gavazzi, a ETE reflete o compromisso da empresa com a sustentabilidade, pois com o reaproveitamento da água, a captação feita com o lençol freático é feita em menor quantidade, além de outras ações que vão de encontro com a preservação da natureza.

“Hoje podemos dizer que todo o nosso resíduo é direcionado para o descarte apropriado (em um aterro sanitário), não temos mais lançamentos de partículas no ar devido a utilização do filtro, substituímos o óleo por gás natural em processos da fábrica. Tudo isso colabora para que tenhamos uma qualidade de vida melhor e ainda cuidamos do nosso meio ambiente”, finaliza o diretor.

Após nossa conversa com Gavazzi, fomos convidados a conhecer todo o processo de tratamento de água da empresa, em uma visita semelhante a que realizamos em 2018, onde a imprensa e vereadores foram chamados para conhecer como estava sendo realizado todo o processo de purificação da água naquela ocasião.  

Segundo o Supervisor de Produção e Meio Ambiente da Empresa, Valter N. Sakaguchi, após ser utilizada pela manufatura de produtos, a água entra na ETE na primeira fase do complexo, que tem a função de separar os resíduos sólidos da água, além de regular o seu PH. Após este processo, a água chega a fase dois da estação, onde é enviada para um reator biológico, com a ajuda de micro-organismos é purificada, atingindo os parâmetros pedidos pelos órgãos ambientais.

“Nós passamos por um filtro de areia e carvão e usamos parte desta água diariamente. Atualmente temos um reuso de 40% de toda a água utilizada na fábrica, que é empregada em ações de lavagens diversas, porém temos planos de expandir ainda mais nossos esforços para aumentar o volume de água que podemos reaproveitar”, afirmou Sakaguchi.

Ações que se tornam cada vez mais importantes na preservação deste líquido tão precioso e que deve ser cuidado com muito carinho por todos nós.

Comentários:

Suas informações de contato não serão divulgadas.