Salve uma vida: seja você também um doador de medula

Foto: Divulgação
Foto sobre "Salve uma vida: seja você também um doador de medula "

Da Redação: Rafael Barbosa - Foto: Divulgação

O transplante de medula óssea é uma prática médica que pode salvar inúmeras vidas. O tratamento é indicado para doenças relacionadas a deficiências na fabricação de células do sangue, como leucemias e doenças autoimunes, e muitas vezes é a únicas esperança de cura para algumas pessoas. "Há indicação de transplantes de medula óssea quando existe o diagnóstico de doenças que cursam com falência medular, como na anemia aplástica severa, mielodisplasias, também em alguns tipos de leucemias, tais como Leucemia Mieloide Aguda, Leucemia Mieloide Crônica, Leucemia Linfoide Aguda. No mieloma múltiplo e nos linfomas, o transplante também pode estar indicado", afirmou o Dr. Ricardo Bigni, Dr. Ricardo Bigni, hematologista do Grupo COI, um dos grandes centros referencia no tratamento de câncer, em matéria publicada no portal do grupo.

Apesar de não tão difundido pelos meios de comunicação a doação de medula óssea é simples e não oferece praticamente nenhum risco nenhum ao doador, que em um primeiro momento deve fazer é procurar o hemonúcleo mais próximo de sua cidade onde realizará um pequeno cadastro. Em nossa micro região, o hemonúcleo se encontra na cidade de Sorocaba, na Av. Comendador Pereira Inácio, nº 564, no bairro Lajeado. Em caso de dúvidas, a pessoa pode procurar os profissionais do Hemonúcleo pessoalmente ou através do telefone (15) 3332-9466.

No primeiro estágio é realizado um exame de sangue comum, onde serão analisados os seus antígenos e a compatibilidade com os antígenos das pessoas que precisam de medula através de um banco de medula óssea mundial. Para que seja um doador, a pessoa deve ter entre 18 e 55 anos de idade e em bom estado de saúde, além de não ter  qualquer tipo de doença infecciosa, incapacitante, portadoras de câncer ou ter recebido tratamento prévio baseado em quimioterapia. Crianças também podem ser doadoras caso tenham a permissão dos pais e, desde que o paciente também seja uma criança.

Caso a pessoa apresente uma boa compatibilidade com um possível receptor, a pessoa é chamada para a realização de mais exames para que então possa realizar a doação do liquido da medula, chamado “de Liquor”. O procedimento de doação é simples e realizado após uma internação de 24 horas, em um centro cirúrgico e sob anestesia peridural ou geral, através de um método que não envolve cirurgia e que tem a duração de aproximadamente 90 minutos.

O procedimento não traz praticamente risco nenhum ao paciente, já que a medula óssea do doador se recompõe em apenas 15 dias e os doadores retornam às suas atividades habituais depois da primeira semana após a doação. “Os riscos são poucos e relacionados a um procedimento que necessita de anestesia. É necessária a retirada de pelo menos 15% da quantidade de medula óssea do doador, para que seja transplantado ao receptor (paciente). Dentro de poucas semanas, a medula óssea do doador estará inteiramente recuperada. Uma avaliação pré-operatória detalhada verifica as condições clínicas e cardiovasculares do doador, visando a orientar a equipe anestésica envolvida no procedimento operatório. Podem ocorrer alguns destes sintomas após a doação: dor local, astenia (fraqueza temporária), dor de cabeça. Esses sintomas, porém, são passageiros e controlados com medicamentos simples, como analgésicos”, afirmou o Dr. Ricardo Bigni ao portal do grupo COI.

 Acompanhe o vídeo abaixo com mais detalhes sobre o procedimento e procure o Hemonúcleo mais próximo. Ajude a salvar uma vida.

Publicidade:

Comentários:

Suas informações de contato não serão divulgadas.