Acompanhe a retrospectiva do Jornal da Economia em 2015

Foto sobre "Acompanhe a retrospectiva do Jornal da Economia em 2015"

Janeiro - Famílias invasoras deixam Conjunto Habitacional

Matéria: Rafael Barbosa/ Gabriele Pinho

Foto: Gabriele Pinho

PUBLICIDADEJORNAL DA ECONOMIA JE

A reintegração de posse do Conjunto Habitacional Lago dos Patos ocorreu no dia 22 de janeiro, no Bairro Paisagem Colonial. A operação teve início às seis horas da manhã e contou com a participação da Polícia Militar, do Corpo de Bombeiros, equipes do SAM, além de membros da Guarda Municipal e Assistência Social. Também era possível notar a participação ativa do helicóptero águia, além de membros da cavalaria da polícia Militar, que também trouxe cães treinados para a operação.

Apesar de todos os cuidados adotados pelas autoridades, a operação ocorreu sem quaisquer inconvenientes. “As operações se iniciaram as seis horas da manhã e aproximadamente uma hora e meia depois a área já havia sido reintegrada a administração. Podemos afirmar que foi reintegrada a posse (do local) a Prefeitura de São Roque”, afirmou o Chefe de Assuntos Civis da Polícia Militar da região de São Roque, Cap. João Carlos de Souza.

Enquanto membros da PM realizavam um patrulhamento pelo local, outros policiais adentraram cada uma das casas, devidamente acompanhados dos oficiais de justiça. Entretanto das 152 famílias que invadiram o conjunto habitacional, em meados de 2014, apenas 18 ainda permaneciam no local no momento da reintegração, sendo que todas deixaram o local sem confrontos com as autoridades.

Toda ação foi acompanhada de perto por funcionários da Assistência Social, que orientavam os moradores ainda presentes a como proceder em cada caso. De acordo com a Diretora da Assistência Social de São Roque. Fabíola Brandão Averoudi, que participou das negociações com as famílias invasoras desde o primeiro dia de invasão, os moradores sempre tiveram a esperança de que poderiam permanecer no local, embora o fato nunca tenha sido encorajado pelas autoridades. Para as famílias, agora somente resta procurar uma nova moradia e em conversa com a redação, muitos já estão procurando ajuda de parentes. “É complicado, ninguém queria estas casas e agora que estávamos cuidando delas, eles nos tiram”, afirma uma moradora que preferiu não ter seu nome divulgado e que irá morar com a mãe.

Aa entrada das casas foram seladas e tanto a Policia Militar quando a Guarda Municipal realizam patrulhas constantes no local com o intuito de impedir novas invasões. Um pericia foi em todas as casas para avaliar os danos ocasionados com a invasão, já que muitos moradores depredaram as residências ao deixarem o local, levando ou destruindo janelas, portas e telhados. Com a avaliação a Prefeitura deu continuidade ao processo de entrega das residências aos verdadeiros donos, embora Charbel tenha afirmado que não á condições de estipular prazos neste momento. “Faremos uma avaliação técnica, com o departamento de planejamento para depois buscarmos a ajuda com o Governo do Estado e instituições que possam oferecer este auxilio ao governo do município, para que de maneira verdadeira o Conjunto Lago dos Patos seja entregue de maneira digna a população”, completou o Chefe de Gabinete da Prefeitura de São Roque, José Eduardo Charbel, na época.

 

Fevereiro - Leões Unidos da 119 é campeã do carnaval de São roque

Matéria: Rafael Barbosa

Foto: Gabriele Pinho

A escola de samba Leões Unidos da 119 venceu o carnaval de São Roque 2015. A decisão foi anunciada ao final da apuração oficial dos desfiles, ocorrida na Brasital no dia 18 de fevereiro.
Momentos antes do início da apuração, já era possível encontrar uma grande número de representantes de todas as escolas, que aguardavam o anúncio dos resultados. Mesmo apreensivos todos pareciam satisfeitos com o nível do carnaval apresentado na Avenida de São Roque em2015.  “A chuva atrapalhou um pouco, mas conseguimos levar um desfile bem bonito para a avenida”, comentou o Presidente da Leões Unidos da 119, Joberto Alvez.

Porém a expectativa apenas aumentou quando a apuração, inicialmente marcada para as 14 horas, atrasou em uma hora, pois a comissão especial ainda analisava as penalidades que seriam atribuídas a algumas escolas. Como apenas pessoas credenciadas podiam acompanhar o evento dentro da sala de apuração, membros da escola se aglomeraram nas janelas para acompanhar de perto as notas que suas escolas receberiam.

A apuração teve início com o anúncio das penalidades que seriam atribuídas a cada escola. Ficou estipulado que Santa Quitéria e Vila Aguiar receberiam 0,5 pontos de penalidade na somatória de suas pontuações, por conta do atraso na entrega da sinopse de seus respectivos enredos, fato que deveria ocorrer no dia 16 de fevereiro até as 12 horas. O fato revoltou os membros os membros das escolas prejudicadas, principalmente Santa Quitéria, que foi acusada de chegar com apenas sete minutos de atraso.

“Mentiram quando falaram de sete minutos. Sete é numero de mentiroso. Não é justo, até Zona Azul tem 10 minutos de tolerância”, afirmou Marcos Aurélio, que comentou que seu atraso foi de apenas dois minutos.

A escola de samba da Vila Aguiar foi novamente punida juntamente com a Corações Unidos de São João Novo em um ponto, por não retirarem seus carros alegóricos da área de dispersão no tempo devido. Fato foi questionado pelos representantes das escolas, que afirmaram que o tempo para a retirada dos carros não era hábil.

A distribuição dos pontos negativos gerou muita discussão entre os representantes das escolas e a comissão especial da Prefeitura de São Roque, entretanto, após as penalidades, as notas a cada um dos 10 quesitos avaliadores das escolas de samba foram finalmente distribuídos. As escolas receberam boas pontuações pelo excelente carnaval que apresentaram na avenida, porém na metade da apuração, já era possível notar que a disputa pelo título ficaria entre Santa Quitéria e Leões.

Ao final da divulgação, Leões conquistou o carnaval de São roque com 196 pontos, um ponto e meio a mais do que Santa Quitéria. A escola, que este ano homenageou a vida do sertanejo e as tradições de São Roque, se destacou ao atingir pontuação máxima nas categorias, Bateria, Comissão de Frente, Enredo, Fantasia e Conjunto.

“O trabalho que fazemos é sempre muito grande e sempre procuramos nos destacar no carnaval de São Roque. É hoje que a terra treme é hoje que a pedra rola. É muita felicidade”, completa o presidente da Leões, Joberto Alvez, que acompanhou os integrantes de sua escola de samba, comemorando e deixando a Brasital cantando seu samba enredo.

 

Março - São-roquenses participam de protesto nacional contra a corrupção

Matéria: Rafael Barbosa

Foto: Rafael Barbosa

A manifestação nacional contra a corrupção ocorreu também em São Roque, na manhã do dia 15 de março. O evento foi organizado pelas redes sociais e ocorreu por todo o país, tanto nas principais capitais, como nas cidades interioranas. Em São Roque, o encontro estava marcado para as 9h30, na Praça da Matriz, que foi tomada por um grande número de pessoas.

Por volta das 10:30o local já estava tomando por manifestantes, pertencentes as mais diversas faixas etárias. Pais levaram seus filhos e muitos cidadãos compareceram ao evento com caras pintadas e placas de protesto contra a corrupção no Brasil, o desvio de verba da Petrobras e até mesmo contra o governo da Presidente da República Dilma Rousseff. “Chega de mentira e de corrupção. Este governo é um dos mais corruptos que nós já tivemos em nosso país. Basta”, afirmou a manifestante Mariza Vieira Peixoto Cruz.

Mesmo que fosse possível encontrar representantes de partidos políticos, como PSOL e PMDB, os manifestantes afirmaram que o movimento era apartidário. “Não estou aqui como presidente de partido e sim como cidadão. Esta é uma manifestação do povo de São Roque, que está insatisfeito com a corrupção no Governo Federal”, afirmou o Presidente do PSOL em São Roque, Remo Tagliassachi Neto.

Após se reunirem os manifestantes deixaram a Praça da Matriz para realizar uma pequena caminhada pelo município. Com palavras de ordem, protesto e cantando o hino nacional, os prsentes deixavam a praça e tomaram a Avenida Tiradentes, para logo em seguida caminhar pela Rua Rui Barbosa e voltar a Praça da Matriz, de onde seguirão até a Praça da República, onde um manifesto foi lido e repetido pela população. “Amanhã será maior”, gritavam as pessoas sobre possíveis novos levantes populares, caso a situação do país não melhore.

Após o ocorrido, os manifestantes seguiram novamente para a praça central do município, dando fim aos protestos, que ocorreram de forma pacifica e, sendo acompanhados de perto pela Policia Militar, não registrou nenhuma ocorrência. O levante popular em São Roque foi visto com bons olhos pelos manifestantes, que viram o movimento como uma forma democrática de expressão. “Estamos em uma democracia e temos todo o direito de nos manifestarmos. Temos a obrigação de irmos para a rua e dizermos o que queremos para o nosso país”, disse o manifestante Orley Roberto de Oliveira

 

Abril - Mais de 200 casos de dengue são confirmados em São Roque

Foto: Reprodução

Segundo informações do último boletim da Vigilância Epidemiológica de São Roque, foram confirmados até o momento 213 casos de dengue no município até o início de abril. Desse total, 157 são considerados autóctones (contraídos na própria cidade) e 56 são importados (contraídos em outras localidades).

De acordo com o boletim, ao todo foram 936 notificações realizadas até o último dia 04, sendo 612 de moradores de São Roque e 324 de pessoas de outros locais que foram atendidas dentro do município.

Do número de notificações relacionadas aos moradores de São Roque (612), 298 tiveram o resultado negativo no exame laboratorial; 99 ainda aguardam a conclusão; 2 tiveram resultados inconclusivos. Sendo assim, estão confirmados 213 casos.

Os bairros mais afetados pela doença são Vila Aguiar (16 casos), Vila Nova (18 casos), Vila Irene (23 casos), Goianã (25 casos).

Ainda de acordo com o boletim o Serviço de Controle de Zoonoses afirma que continua atuando na eliminação e controle do mosquito transmissor da doença, o Aedes aegypti. O departamento ainda relata que encontra dificuldades nas atividades contra a dengue, pois muitos imóveis se encontram fechados para a verificação.

Operação contra a dengue

Recentemente, a Prefeitura de São Roque realizou, com cerca de 300 pessoas, uma “Mega Operação” contra a dengue no município. De casa em casa, os agentes realizaram vistorias e visita em todos os bairros da cidade, eliminando criadores do mosquito e orientando os cidadãos.

Esta operação foi reforçada com agentes comunitários de saúde, alunos de escolas de enfermagem e funcionários públicos de diversos setores da Prefeitura.

A Vigilância Epidemiológica pede, então, que todos os cidadãos se atentem aos seus locais de convívio (casa e trabalho dentre outros), eliminando focos onde se acumule água parada e tratando os criadouros que não possam ser eliminados com sabão em pó ou detergente. Tal medida é a principal arma contra a proliferação do mosquito e da doença.

É importante ressaltar também que ao apresentar os sintomas da dengue, a pessoa comece imediatamente o processo de hidratação, procure atendimento médico, use repelente e faça uso de remédios apenas mediante receita médica.  

 

Maio - X Passeio Ciclístico Jornal da Economia/Braçadas & Cia é realizado

Matéria: Rafael Barbosa

Foto: Alan Vianni

O X Passeio Ciclístico do Jornal da Economia/Braçadas & Cia., que aconteceu em São Roque na manhã de domingo, 17 de maio, foi um grande sucesso. No início da manhã já era possível ver dezenas de ciclistas chegando a Avenida Bandeirantes, local de onde os participantes saíram para percorrer algumas das principais ruas de São Roque. Todos os inscritos para o evento doaram1 kg de alimento não perecível e ao total no passeio foi arrecadado cerca de 270 kg de alimentos que foi destinado à instituição beneficente Lar Mãe da Providência no bairro São João Novo.

Além de ser um evento beneficente, segundo o jornalista e organizador do evento, Carlos Mello, a ação tem a função de incentivar a prática esportiva e unir a população. “Este passeio é especial, pois também comemora os 25 anos do Jornal da Economia. Estou muito feliz de acompanhar tantas pessoas, crianças e adultos, que muitas vezes vem com a família para curtir o evento”, afirma o jornalista.

Antes do início do passeio a expectativa era grande e logo nas primeiras horas da concentração boa parte da avenida já estava tomada pela população, seja os que conheciam o evento pela primeira vez, ou os que já o acompanhavam há anos. “Venho todos os anos. Você percebe que pessoas de todas as classes sociais participam deste evento, que incentiva as pessoas de todas as idades a prática esportiva”, comenta o Prefeito Daniel de Oliveira Costa, que afirma estar tomando medidas para apoiar o ciclísmo no município.

Por volta das 10 horas da manhã o passeio teve início e centenas de ciclistas deixaram a Avenida Bandeirantes para circular por algumas das principais vias do município, como a Av. Antonino dias Bastos e a Av. John Kenedy. O trajeto foi acompanhado pela Guarda Municipal e pelos Agentes do Trânsito de São Roque, que interditavam as ruas momentaneamente para que os participantes do evento passassem, não causando transtornos ao tráfego de veículos.

O ponto de chegada foi o Grêmio União Sanroquense, onde os participantes puderam se reunir para descansar e acompanhar o final do evento. Os principais destaques entre o público, o ciclista com a bicicleta mais antiga e a equipe mais animada, receberam uma premiação pela participação. Vale compras e bicicletas também foram sorteados no evento, os presentes também puderam conferir uma apresentação de Bike Trial com Márcio Rodrigues, Campeão Brasileiro na categoria.

Ao final do evento, todos pareciam muitos satisfeitos. “As pessoas geralmente não gostam de fazer as coisas sozinhas, com eventos como este, que incentivam a ação coletiva, as pessoas ficam mais animadas para praticar o esporte”, afirma a estudante Brenda de Oliveira Buzzo, ganhadora de umas das bicicletas sorteadas no evento.

“Foi um momento único da minha vida. Nunca tinha participado do evento e foi maravilhoso. Parabéns ao Jornal da Economia por esta iniciativa, que é muito bacana para toda a população, e parabéns também pelos 25 anos do jornal”, afirmou o Vice-Prefeito João Paulo.

O X Passeio Ciclístico Jornal da Economia/Braçadas&Cia contou com o patrocínio do Auto Posto Alaska, Empreendimento Catarina, Enfermed, Soldatopo, Fladafi, Rovi Mármores e Granitos e Paiol Materiais para Construção. O Apoio Cultural ficou por conta da Prefeitura da Estância Turística de São Roque, do Grêmio União Sanroquense, Roma Acrílicos, Rádio Coluna FM 87.5, CTI Informática e Idiomas, Bar do Chico, Carlos Mello Eventos, Sport Bike S.R, Loja Bike Show Houston, Propagare Publicidade e Eventos, Via TripBike Shop, Lider Graf, WL Extintores, Gordo Ciclos, Associação Comercial de São Roque, Agroverde SR e Unimed São Roque.

 

Junho - Prefeito Daniel é acusado de provocar briga no Rodeio de São Roque

Governo nega acusações que prefeito tenha incitado agressão

Matéria: Rafael Barbosa

Imagem: Reprodução / Internet

O Prefeito Daniel de Oliveira Costa, foi acusado pelo jornalista Emir Bechir e por Eliam Bianchi, conhecido como "Chumbinho", Presidente do PDT - Partido Democrático Trabalhista, de iniciar uma confusão na madrugada do dia 13, no Rodeio realizado em São Roque.

Segundo o Boletim de Ocorrência que foi registrado na Delegacia de Polícia da cidade de Mairinque, Emir e Chumbinho, acusam o Prefeito Daniel, seu irmão Abel de Oliveira Costa e o primo José Deodato de Oliveira, que ocupa o cargo de Diretor de Administração da Prefeitura de São Roque de agressão física.

Emir e Eliam contam que haviam acabado de acompanhar o show da dupla Chitãozinho e Xororó quando o incidente ocorreu.Segundo o BO, após o show o Prefeito de São Roque, Daniel de Oliveira Costa teria jogado cerveja nas costas de Emir. “A bronca é comigo, fui eu que joguei”, teria falado o governante aos dois.  Com a situação os estes teriam se dirigido para fora do local, e quando se encontraram com um dos irmãos do Prefeito Daniel, Abel de Oliveira Costa, que descia as escadas com sua mulher teria dado um chute em Emir.

Após a agressão inicial, o primo de Daniel, e Diretor de Administração da Prefeitura, José Deodato de Oliveira teria chegado ao local com mais alguns companheiros e começado a agredir tanto Emir quanto Eliam, que só teriam conseguido sair da confusão com a ajuda de seguranças do local. “Eles vão responder judicialmente pelo que fizeram”, afirmou o jornalista, que foi socorrido pelos seguranças do evento, responsáveis por acabar com o conflito.

Em nota divulgada a imprensa o Prefeito de São Roque, Daniel de Oliveira Costa, informou que iria processar o integrante do PDT, Emir Bechir, ex-PT, e dono da Rádio Pirata Estancia FM, por calunia e difamação sobre as acusações feitas por ele em um texto que afirma que o prefeito o agrediu na Festa do Peão de São Roque.

Daniel informou que nem estava próximo do local da briga, que teria por provocações de Emir, ao lado das pessoas que o acompanhavam. Daniel estava no andar de cima, sem qualquer visão do que ocorria no piso abaixo. “Uma coisa é eles provocarem uma confusão e brigarem, a outra é quererem me prejudicar, me colocando no meio, sendo que nem perto eu estava e mesmo que estivesse jamais faria alguma coisa nesse sentido. Eles querem ser candidatos e tentaram provocar uma situação para me prejudicar, porém, agora eles terão que provar que eu encostei um só dedo seja em quem for. Esse tipo de atitude é uma sujeira sem tamanho, tentam de tudo, depois usaram os jornais para falarem o que querem e se lançarem de coitados”, afirmou.

De acordo com a nota, tudo começou com provocações de Emir que estava acompanhado do Chumbinho e de outra pessoa, que teriam ofendido a mulher e as filhas de Daniel. Antes do show acabar, Emir, Chumbinho e uma outra pessoa, que dizia ser da Polícia Federal, seguiam pelo corredor debaixo dos camarotes quando encontraram um dos irmãos do Daniel que saia com a esposa, iniciando uma discussão com ele. A partir das provocações começou uma confusão, até que outras pessoas chegaram, inclusive o diretor de administração da prefeitura para apaziguar os ânimos, principalmente de Emir e seus companheiros, que estariam em maior número. “Foi tudo bem pensado politicamente para me prejudicar, mas tudo bem, a verdade virá”, finalizou o prefeito.

 

Julho - Quadrilha de falsos médicos é descoberta e dois são presos

Matéria: Rafael Barbosa/Alan Vianni

Foto: Divulgação/ Internet

Os falsários que se passavam por Pablo Vinício Tomaz e Natalia Mejiasforam presos em Mairinque’, enquanto Cibele Lemos continua foragida

A mulher que se apresentava como Cibele Lemos, investigada pela Polícia Civil de Mairinque por prestar atendimento à pacientes em diversos hospitais da região utilizando-se do registro profissional de outra pessoa, não era a única falsa médica a prestar atendimento na região.

Pelo menos mais dois supostos falsários foram identificados e presos pelas autoridades e foram detidos na Delegacia de Mairinque. Fontes do jornal nos informaram que os presos são um homem e uma mulher que se passavam pelos médicos Pablo Vinício Tomaz e Natalia Mejias. De posse dos nomes e das fotos dos acusados, que também prestaram atendimento na área destinada ao SUS na Santa Casa de São Roque nossa redação realizou uma pesquisa no site do CREMESP (Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo) e constatou que as fotos dos falsários não correspondem as fotos dos médicos cadastrados no site.

A falsa médica foragida foi a responsável pela descoberta da quadrilha, quando foi identificada ao deixar o plantão da unidade de saúde de Alumínio, no dia 11, sem dar justificativas. Quando a prefeitura da cidade decidiu consultar o Conselho Regional de Medicina (CRM) para tomar uma atitude administrativa contra a profissional, foi descoberta a fraude. "Foi quando vimos que a foto dela não condizia com a pessoa que trabalhava no PA", afirma o diretor do pronto-atendimento, Rafael Leles, em depoimento ao G1. A mulher está foragida deste então.

Descoberta da quadrilha

Após a descoberta da identidade falsa de Cibele, a mulher que já havia atendido pacientes por toda a região começou a ser investigada, assim como as pessoas ligadas a ela de alguma forma. Em entrevista ao Jornal da Economia os interventores da Santa Casa, Sidney Muniz e Jorge Haddad informaram que o hospital tomou conhecimento da fraude pelo Pronto Atendimento de Alumínio, que entrou em contato com a Santa Casa e, após realizar uma consulta junto ao CREMESP, descobriu a fraude. Com a descoberta, foram abertas duas sindicâncias, uma para apurar os atendimentos feitos pela falsa médica, e outra para verificar todos os profissionais da instituição. Até quinta-feira cerca de 30 profissionais já haviam sido investigados e dentre eles, três foram identificados como suspeitos (Pablo e Natalia entre eles).

Segundo a Santa Casa, os nomes foram enviados para as autoridades, para o CRM e para a empresa responsável pela contratação destes profissionais. “A Santa Casa lamenta profundamente este episódio, vamos convocar todos os pacientes atendidos por estas pessoas para fazer uma reavaliação préviamente agendada. Pedimos que as pessoas não entrem em pânico pois todos serão atendidos particularmente”, completa Sidney.

Uma ação parecida está sendo tomada pela prefeitura de Mairinque, que em nota, afirma que também iniciou a apuração dos fatos e que também irá convocar as pessoas atendidas por falsos profissionais para realizar uma reavaliação médica. Medida que também deve ser tomada por todos os municípios por onde a quadrilha passou.

 

Agosto - Tingo é condenado a cinco anos em regime semiaberto

Matéria: Rafael Barbosa

Foto: Rafael Barbosa

Tingo chega ao fórum de São Roque

Anderson Lúcio de Oliveira, conhecido como Tingo, preso em agosto de 2014 por agredir a auxiliar de produção Fernanda Regina Cézar, com uma cotovelada foi condenado a cinco anos de prisão por lesão corporal grave, após julgamento realizado dia 18 de agosto.

Na manhã do julgamento, a comoção era grande no Fórum de São Roque, com uma grande concentração de familiares e amigos de Fernanda e Anderson, além de policiais e imprensa. “Ele não é assassino, é uma pessoa do bem, um trabalhador”, afirmou o irmão de Anderson, Hamilton Fernandes de Oliveira.

O julgamento se iniciou com sala lotada e de imediato, o júri que analisaria o caso de Anderson chamou a atenção dos presentes, já que dos sete jurados, seis eram mulheres.

Fernanda foi a primeira a ser chamada para depor. A auxiliar de produção afirmou que sua vida nunca mais foi a mesma após a agressão e por decorrência do fato, ainda toma diversos medicamentos todos os dias e vem realizando tratamento neurológico. “Estes dias eu estava querendo me matar”, completou.

Questionada sobre o dia em que levou a cotovelada, a auxiliar de produção afirma que não estava bêbada e que não provocou Anderson, embora nãolembrasse das palavras ditas ao comerciante na ocasião, ações que foram registradas nas pelas câmeras de segurança que gravaram o ocorrido.

O Depoimento das pessoas que estiveram presentes quando Fernanda levou a cotovelada a descrevem como uma pessoa agressiva, que provocava as pessoas ao seu redor, mas embora todos tenham afirmado que Fernanda ofendeu Anderson, ninguém conseguiu dizer que ofensas, descrevendo o fato de forma genérica.

Anderson esteve presente durante quase todos os depoimentos. Claramente abatido e mais magro, o comerciante chorou em diversos momentos e durante seu depoimento falou que Fernanda teria ofendido sua irmã e seu pai. "Não foi nada premeditado, nunca passou pela minha cabeça tentar matar ela", completou.

Ao final do julgamento, com o resultado de 4 votos a 1, o júri compreendeu que Tingo não teve a intenção de matar Fernanda, desqualificando a tentativa de homicídio e o condenando por lesão corporal grave, quando a agressão incapacita a vítima de suas atividades habituais por mais de 30 dias. Tingo foi condenado então a cinco anos de prisão em regime semiaberto, a pena máxima para este tipo de crime. Porém, seu advogado, Luiz Pires Moraes Neto, já afirmou que irá recorrer para tentar diminuir a sentença, mas que dado o fato de Tingo já ter cumprido parte da pena, ele deve deixar a cadeia em até quatro meses.

O representante do advogado de Fernanda, Daniel Fernandes Gonçalves, informou que a acusação irá avaliar se entrará com um recurso para rever a sentença, entretanto, até o fechamento desta edição nada foi confirmado sobre um possível recurso da sentença.

 

Setembro - Justiça libera supostos envolvidos no caso dos falsos médicos

Matéria: Rafael Barbosa

Foto: Reprodução/internet

Pedro Renato Guazelli, Tarquínio Lucio Alves de Lima, David Bem Manczur Gonsalves, Natani Thaisse de Oliveira, Jaime Ricardo Chumacero Júnior,  Pablo do Nascimento Mussolim e Bertino Rumarco da Costa.

O Tribunal de Justiça de São Paulo liberou todos os acusados de envolvimento no caso dos falsos médicos que atuaram em São Roque, Mairinque e Alumínio. A Justiça acatou o pedido de Habeas Corpus e liberou o proprietário da empresa Innovaa, responsável pela contratação dos falsários, Pedro Renato Guazelli, assim como tesoureiro David Bem Manczur Gonçalves e a secretária da empresa, Sandra Regina dos Santos Teixeira. O documento também liberou Pablo do Nascimento Mussolim, Natani Thaisse de Oliveira e Jaime Ricardo Chumacero Júnior, que exerciam medicina na região se utilizando do CRM de médicos devidamente cadastrados.

Os acusados não foram os primeiros apontados como envolvimento no escândalo dos falsos médicos a deixarem a prisão. O Sócio de Pedro Renato na Innovaa,Tarquínio Lucio Alves de Lima, após pagar fiança de 50 salários mínimos, aproximadamente R$ 39.400,00, já havia sido liberado pela justiça, assim como a também funcionária da empresa, Laura Vitória Miranda. O boliviano Bertino Rumarco da Costa, acusado de exercer medicina se utilizando de documentos falsos, também já havia deixado a cadeia após pagar fiança de 10 salários mínimos.

Por se tratar da execução de um Habeas Corpus, Pedro Renato, os funcionários da Innovaa Davi e Sandra, e os falsos médicos Pablo, Jaime e Natani foram soltos sem a necessidade do pagamento de fiança.  Com a liberação nenhum dos acusados apontados pela Justiça por envolvimento no caso dos falsos médicos se encontra preso, respondendo ao processo em liberdade provisória. 

Segundo o Habeas Corpus o pedido de liberação é baseado sob a alegação que os pacientes sofrem constrangimento ilegal, enquanto aguardam o processo em prisão preventiva. O documento ainda alega que mesmo tendo comprovadamente se passado por falsos médicos, o delito não atende os requisitos necessários para a prisões preventiva “apontando a ilegalidade da decisão coatora, que manteve as prisões cautelares dos pacientes, entendendo ausentes os requisitos autorizadores da prisão preventiva, nos termos do artigo 312 do Código de Processo Penal”.

Por serem réus primários e dotados de bons antecedentes, isto afastaria os réus das possibilidades de fuga, podendo aguardar o andamento do processo em liberdade sem trazer risco a ordem pública.

Diante dos fatos o Tribunal estipula na concessão da liberdade provisória mitigada por medida cautelar, sendo assim, embora todos os suspeitos no caso dos falsos médicos tenham sido liberados, todos estão proibidos de deixar a comarca e deverão se apresentar à Justiça periodicamente para informar suas atividades.

O inquérito sobre o caso dos falsos médicos, envolvendo a Innovaa deve ser finalizado nas próximas semanas. Pedro Renato e Davi Bem deveriam prestar depoimento na Delegacia de Mairinque na tarde de quinta-feira, dia 17, entretanto a declaração foi cancelada. Tarquínio Lúcio Alves de Lima deve prestar depoimento na tarde desta sexta-feira, dia 18.

 

Outubro - Depressão afasta 90 funcionários da Prefeitura de São Roque

Matéria: Rafael Barbosa

 

A Prefeitura de São Roque conta atualmente com 167 funcionários afastados de suas funções e, dentre estes, 90 estão de licença por depressão. O dado surgiu por intermédio da própria gestão municipal, ao responder o requerimento número 150, de autoria do Vereador Donizete P.A. Moraes, que questionava a prefeitura sobre o número de profissionais afastados de suas funções.

Segundo o vereador,o requerimento foi feito pois o mesmo já havia recebido denúncias de que um  número excessivo de profissionais estavam afastados de seus afazeres, porém o número real espantou o legislador. “Não é normaltantos funcionários afastados por depressão em um órgão público, afinal é uma doença tratável, onde a pessoa passa por um tratamento e depois deve voltar as suas funções”, afirmou o vereador.

A depressão é um mal que afeta milhares de brasileiros e cidadãos acometidos pela doença podem recorrer a seus direitos trabalhistas em determinados casos. Se laudos médicos comprovarem que a depressão foi adquirida em função de uma atividade do trabalho, ela pode ser considerada como acidente de trabalho, entretanto o afastamento por depressão não é válido para estresses normais do trabalho.

Dois fatos chamam a atenção ao se analisar o quadro mostrado pela prefeitura sobre os funcionários afastados. O primeiro é o tempo de afastamento de alguns funcionários, que se estendem por anos, como o caso de uma mulher que se afastou em 2007 e tem data para voltar a suas funções em 2016. O segundo é a quantidade de funcionários que pediram afastamento, que crescem com o tempo e se em 2007 aproximadamente três pessoas pediram sua dispensa, em 2014 este número chegava perto de 30.

Segundo Donizete, acarência de tantos funcionários não apenas atrapalha o rendimento da máquina pública, mas também oneram a folha de pagamento, pois estes profissionais são pagos pelo fundo de seguridade, o que pode ser um problema futuramente e pode causar dificuldadesna folha de pagamento da Prefeitura caso muitos profissionais voltem ao mesmo tempo.

A possibilidade de possíveis fraudes também desperta suspeitas, principalmente devido ao comentário de alguns vereadores sobre o caso. “Eu conheço alguémque está afastado. Toda vez que se afasta vai pescar no Pantanal”, afirmou o Vereador Rafael Marreiro, quando o caso foi discutido durante uma Sessão da Câmara Municipal, ao afirmar que a prefeitura deveria investigar esta situação.

O Jornal da Economia entrou em contato com a Prefeitura de São Roque pedindo esclarecimentos sobre o caso e questionando sobre ações da administração local sobre o assunto.  A prefeitura informou ao JE por meio do Departamento de Administração, queestá realizando um levantamento dos dados junto a todos os departamentos, e encaminhará uma nota de esclarecimento na próxima semana a nossa redação.

 

Novembro - Santa Casa sem direito a maternidade

Matéria: Rafael Barbosa / Gabriele Pinho

Foto: Reprodução

A Santa Casa de São Roque paralisou os serviços de maternidade realizados no hospital. A falta de pediatras obrigou a Irmandade a começar o remanejamento das pacientes gestantes da Santa Casa para outras instituições desde segunda-feira passada (9), sendo que as mulheres diagnosticadas com quadros de baixa complexidade são direcionadas para o hospital da cidade de Salto, enquanto as de alta complexidade serão encaminhadas para Itu. “As gestantes que vem para a Santa Casa são avaliadas por um obstetra e, conforme a complexidade de cada caso, a paciente é direcionada a uma das instituições”, completa.

O diretor afirma que as expectativas é que a maternidade volte ao seu atendimento nos próximos dias.  A falta de pediatras traz a tona um novo problema da instituição: a falta de confiança por parte dos médicos. A Santa Casa de São Roque tem enfrentado problemas para repor parte do seu corpo clínico e assim, retomar a todas as suas atividades após a greve médica ocorrida no hospital, que se iniciou no dia 27 de outubro e se estendeu por aproximadamente 15 dias. Segundo o Diretor de Saúde de São Roque, Sandro Rizzi, embora o Pronto Atendimento e o convênio do hospital tenham voltado a funcionar no dia 13, a Irmandade tem encontrado dificuldades em encontrar profissionais de algumas especialidades para atuarem no hospital.

Rizzi afirma que a empresa responsável pela contratação dos médicos da Santa Casa, tem encontrado dificuldade em encontrar mão de obra por conta da má fama que a instituição ganhou entre os profissionais. Inseguros, os médicos estariam exigindo o pagamento a vista pelos seus serviços, o que devido a situação financeira da irmandade não seria viável no momento.

Esta desconfiança teria ocorrido em parte por conta de constantes reclamações e acusações feitas por alguns médicos à instituição nas redes sociais. “Se você entrar no Facebook você verá comunidades médicas dizendo para não trabalhar na Santa Casa de São Roque porque ela não paga, mas quando se pesquisa, você vê que os profissionais não são desta época (da greve) e sim os que trabalhavam para a Innovaa”, afirma o médico ao se referir a antiga empresa responsável por contratar o corpo clínico da Santa Casa e que também contratou falsos médicos que atuaram no município. “Quando entramos em contato com os médicos da empresa, descobrimos que vários deles não receberam, sendo que a Santa Casa honrou seus pagamentos com a Innovaa, só que a empresa pagava com três meses de atraso, eles ficaram sem receber. Com a crise que tivemos agora esta situação ficou mais complicada, mas não são os médicos que tínhamos agora que fizeram este barulho e sim funcionários antigos”, completa Rizzi.

O Jornal da Economia espera que este problema seja resolvido pelas autoridades e que as mães são-roquenses possam ter atendimento médico digno e o direito de parir seus filhos em São Roque, na sua terra natal.

 

Dezembro - Tribunal de Contas suspende licitação do lixo

Matéria: Rafael Barbosa

O Tribunal de Contas do Estado de São Paulo suspendeu na quinta-feira (3) uma licitação feita pela Prefeitura de São Roque para a realização de uma Parceria Público Privado (PPP) “destinada à realização de investimentos e prestação de serviços de manejo de resíduos sólidos urbanos e limpeza urbana no munícipio”.  O leiloamento previa um acordo de 30 anos com uma empresa a ser contratada no valor de aproximadamente R$ 720 milhões, algo em torno de R$ 24 milhões ao ano.

A licitação foi alvo de duas representações junto ao Ministério Público, uma por parte da empresa Proactiva Meio Ambiente Brasil Ltda e pelo Vereador Etelvino Nogueira (PSDB). As representações feitas pela empresa e pelo legislador afirmam que existem diversos aspectos irregulares quanto à licitação.

O Vereador Etelvino afirma que não foram feitas as consultorias públicas devidas para um processo deste porte eque a convocação das Audiências Públicas que discutiram o assunto na  Câmara diziam que  o assunto debatido seria destinação de resíduos sólidos no município, em nenhum momento abordando a realização de uma PPP. O resultado é que pouquíssimas pessoas teriam tomado conhecimento da realização deste processo, que é feito pela primeira vez com o município. Entretanto, um dos pontos mais abordados pelo Legislador seria com relação aos gastos apresentados na licitação. “Vamos supor que nós consigamos esta PPP por R$600 milhões (o que seria R$120 milhões a menos), isto daria aproximadamente R$ 20 milhões por ano, o que ainda geraria um custo de R$1,6 milhões por mês aos cofres públicos”, afirmou o vereador.

Acatando as representações do vereador e da empresa, o Tribunal de Contas suspendeu o processo licitatório por decisão do conselheiro Sidney Estanislau Beraldo, barrando a ação e impedindo qualquer avanço ou alteração no mesmo até que a Administração Municipal esclareça uma série de pontos com relação à licitação desta Parceria Público Privada.

Ao procurar o Departamento Jurídico da Prefeitura de São Roque, o Jornal da Economiaconversou com o Procurador Jurídico Municipal, Ricardo Peres Santangelo, sobre o ocorrido. De acordo com ele, a administração municipal já apresentou sua defesa ao Tribunal de Contas e afirma que a licitação não apresenta nenhuma irregularidade.

O estudo de custos para a PPP foi realizado pela FIPE(Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas), instituição ligada a USP e que atua na área de desenvolvimento de indicadores econômicos e financeiros. Quando questionado se a Prefeitura teria condições de gastar R$ 2 milhões por mês com um tratamento e coleta do lixo, o assessor afirma que este não será o valor gasto já que embora a licitação preveja o valor de R$ 720 milhões, o real custo cobrado pela empresa que vencer a licitação será discutido baseado nas possibilidades econômicas do município.“A ordem de serviço será dada com base na nossa capacidade financeira do ano”, completa.

Com relação à discussão pública sobre a licitação, o advogado afirma que, embora o convite às audiências não mencionasse a PPP, toda a situação da licitação foi discutida em audiências públicas, além de publicações de matérias na imprensa da cidade, no site e na própria Prefeitura.

O Tribunal de contas não estipula um prazo para analisar a licitação do lixo de São Roque, entretanto, a prefeitura afirma estar confiante que o órgão irá liberar o processo até o fim do ano e sem nenhuma alteração.

Comentários:

Suas informações de contato não serão divulgadas.