Moção de Repúdio para prefeito Guto Issa é aprovada pela Câmara de São Roque

Proposta pelo vereador Paulo Juventude, a moção recebeu oito votos favoráveis

Foto: Reprodução / Facebook
Foto sobre "Moção de Repúdio para prefeito Guto Issa é aprovada pela Câmara de São Roque"

A Câmara Municipal de São Roque votou na Sessão Ordinária da última segunda-feira (09) uma Moção de Repúdio proposta pelo vereador Paulo Juventude ao prefeito da cidade, Guto Issa, após o governante ter se recusado a receber em seu gabinete os membros da Associação dos Profissionais de Educação de São Roque (APESR).

A reunião havia sido agendada pelo parlamentar Guilherme Nunes, na tentativa de estabelecer um canal de diálogo com a classe que reclama de inúmeras promessas não cumpridas pelo atual Chefe do Executivo.

“Uma semana antes da reunião, me passaram três nomes para participar do encontro, que seria tranquilo para a gente começar um diálogo com o Poder Executivo entre representantes da classe. Sempre me comprometi, levei tudo o que me passaram como demanda e a gente tentava fazer esse meio de campo, mas no dia da reunião, se eu não me engano, chegaram oito pessoas. A gente ficou numa situação complicada, pois achei que o encontro seria de uma forma e não foi nada do que havíamos combinado”, disse Nunes, como justificativa de a reunião não ter acontecido.

A Moção de Repúdio ao prefeito recebeu votos favoráveis dos vereadores Diego Costa, Paulinho Juventude, Willian Albuquerque, Niltinho Bastos, Alexandre Pierroni, Cabo Jean, Marquinho Arruda e Clóvis da Farmácia.

“Eu subscrevi essa moção, pois nós tínhamos aqui nessa casa um vereador, que depois foi candidato a prefeito e que durante muito tempo se serviu dessa instituição da APESR pedindo para que esses professores que faziam parte estivessem ao seu lado com promessas de diálogo, de ter até dentro da sua gestão uma representante da APESR que fosse da diretoria da Educação, e como mudou, né?!”, disse Niltinho Bastos.

O parlamentar ainda destacou que, atualmente, “o maior debate que poderia existir na história de São Roque seria do ex-vereador Guto Issa com o atual prefeito Guto Issa”, pois segundo Niltinho, tudo aquilo que ele dizia como vereador, hoje em dia não cumpre.

Além da moção aprovada, a APESR afirma que os profissionais de Educação tiveram uma perda na questão salarial, quando a Prefeitura retirou 20% da bonificação de assiduidade. A associação ainda alega que o aumento concedido cobriria tais danos, mas isso não aconteceu.

“Num total desprezo pelo respeito à pluralidade, ao impedir a participação de uma entidade representativa de um segmento tão importante para nossa sociedade, mais uma vez o prefeito demonstra sua insensibilidade e o despreparo para o exercício do cargo”, disse release da Câmara.

Prefeito se pronuncia sobre o caso

Durante o evento de inauguração do Poupatempo, o Jornal da Economia questionou o Chefe do Executivo sobre como ele avalia a aprovação da Moção de Repúdio e, em resposta, ele afirmou que “respeita o processo com naturalidade”, pois ficou oito anos na Câmara e isso faz parte da política.

Guto Issa ainda declarou que ninguém negou diálogo à instituição, e que tudo não passou de um mal-entendido. “O Guilherme Nunes marcou uma reunião com três pessoas e, no dia, havia sete pessoas e um outro vereador. Ninguém se recusou a receber a instituição. A gente gosta de diálogo, mas eu não posso aceitar alguém que tente impor alguma coisa para mim. Hoje o que a gente vê em São Roque são pessoas remando contra a cidade, que caminha bem. Eu fui o prefeito de São Roque mais atacado no primeiro ano de governo, então isso é uma disputa política”, finalizou o prefeito.

Publicidade:

Comentários:

Suas informações de contato não serão divulgadas.