Alopecia: Saiba sobre a doença de Jada Pinkett Smith

Condição capilar atinge cerca de 5% das mulheres no mundo

Fonte: Assessoria de Imprensa
Foto: Reprodução / Instagram
Foto sobre "Alopecia: Saiba sobre a doença de Jada Pinkett Smith"

A atriz e apresentadora Jada Pinkett Smith foi alvo de uma piada de Chris Rock, o que levou Will Smith, seu marido, a dar um tapa no rosto do comediante durante a apresentação da categoria de melhor documentário, na noite da cerimônia do Oscar deste domingo (27).

Na ocasião, Chris Rock comparou a atriz com a personagem de Demi Moore em "Até o limite da honra", que tem a cabeça raspada. Jada, de 50 anos, tem alopecia, condição capilar que a faz perder o cabelo.

A perda progressiva, também conhecida como alopecia ou calvície feminina, é uma disfunção que atinge cerca de 5% das mulheres do mundo com a queda de cabelo progressiva. A modelo Naomi Campbell, a campeã do BBB 21 Juliette Freire e a cantora Maraisa, da dupla com Maiara são algumas das famosas brasileiras que possuem a disfunção.

O dermatologista Werick França comenta que o problema também pode ser confundido com a perda por conta de procedimentos químicos, como progressivas ou tinturas. “O cabelo é sinônimo de autoestima para muitas pessoas, principalmente para mulheres e a perda desses fios pode abalar a autoestima”.

Mas quando ter certeza de que é preciso procurar um profissional?

A mulher pode sofrer com diversos tipos de alopecia, desde doenças autoimunes que atacam os folículos causando a queda, o eflúvio telógeno, que ocorre após a gravidez, entre outras, mas que esses podem ser revertidos com tratamentos específicos.

Quando a alopecia é androgenética, mais conhecida como calvície, ocorre afinamento e o atrofiamento do bulbo, causando a queda definitiva. Essa condição genética na mulher acontece normalmente de forma difusa em todo topo da cabeça e também de maneira global, comprometendo toda região da cabeça. Algumas mulheres que nascem com essa condição herdada de família já são pré-dispostas a ter a disfunção.

O principal sinal indicativo de que a doença pode estar presente é a perda de mais de 100 fios de cabelos por dia, podendo ser percebido ao encontrar muitos fios de cabelo no travesseiro quando acorda, quando se lava ou penteia o cabelo ou quando se passa a mão pelos fios. Além disso, é possível também identificar a alopecia quando são visualizados no couro cabeludo regiões com pouco ou nenhum cabelo.

Werick destaque que apesar de acontecer principalmente na cabeça, os sinais indicativos de alopecia podem ser notados em qualquer região do corpo com pelo.

Como tratar?

O tratamento precoce é feito por um médico dermatologista e pode inibir o avanço e manter seu cabelo volumoso por muitos anos. O procedimento para a disfunção pode ser feito em clínicas e também em casa, por meio de loções, medicamento oral, vitamina e shampoo de uso diário.

Não utilize receitas caseiras. É preciso ter cuidado na hora de procurar métodos para melhorar a alopecia, se feita de forma errada, pode causar mais queda aos fios.

Publicidade:

Comentários:

Suas informações de contato não serão divulgadas.