Projeto de formação profissional impulsiona carreira de motorista entre colaboradores do setor de transporte

Em comemoração ao Dia do Motorista (25/7), empresas Consor e BRT Sorocaba homenageiam profissionais do segmento, compartilhando histórias inspiradoras.

Assessoria de Imprensa Foto: Divulgação
Foto sobre "Projeto de formação profissional impulsiona carreira de motorista   entre colaboradores do setor de transporte"

Na semana em que se celebra o Dia do Motorista (25/7), o Consor e a Concessionária BRT Sorocaba apresentam como um projeto de desenvolvimento de carreira transformou o sonho de colaboradores de serem motorista em realidade. Ambas empresas concentram um contingente de 511 motoristas na operação do transporte coletivo de Sorocaba. Desse total, 490 são homens e 21 são mulheres.

 

Por meio do Projeto Escalada, iniciativa de desenvolvimento profissional do Consor e da qual hoje a Concessionária BRT Sorocaba também integra, funcionários das empresas que tinham o desejo de se tornarem motorista ganharam acesso à profissão com formação interna. Para concorrer a uma vaga, o candidato precisa trabalhar em qualquer setor, informar ao Recursos Humanos o interesse pela mudança e já começar a imersão em cursos de qualificação e treinamentos teóricos e práticos.

 

Segundo Andréa Liupekevicius, Supervisora de Recursos Humanos e responsável pelo Projeto Escalada, as oportunidades existem e já colocaram muitos profissionais no mercado. O projeto permite um patamar de igualdade e chances para todos aqueles que têm o objetivo de trabalhar como motorista. Conforme o participante avança nos processos e é aprovado no crivo técnico, subirá de cargos até que cheguei a função de motorista.

 

“A ideia é que se preparem com tranquilidade e adquiram conhecimento gradativo e uniforme. É como uma escalada. A cada estágio, sobem um nível e, assim vão conquistando seu espaço. Temos pessoas que começaram na limpeza, estudaram, se prepararam e, hoje, são motoristas profissionais. A oportunidade é a mesma para todos. A preparação é como ter uma visão de atleta. É preciso dedicação e empenho diário e, quando chegar a hora exata da prova, estarão prontos”, ressalta Liupekevicius.

 

Aos interessados na profissão de motorista, a supervisora recomenda que acompanhem o site do SEST SENAT (Serviço Social do Transporte / Serviço Nacional de Aprendizagem do Transporte), vejam a oferta de cursos e se inscrevam. “No portal, existem alguns cursos gratuitos que ajudam a complementar a formação profissional. Isso já é um começo. Às vezes, pode-se não ter dinheiro sobrando em determinado mês, porém, essas formações estão disponíveis sem custo e com um ótimo nível de conteúdo”, complementa.

 

Falar do Dia do Motorista (25/7) é trazer um universo de vivências com os profissionais e a cidade. Para homenageá-los por toda contribuição ao setor de transporte, alguns colaboradores fruto desse projeto compartilham um pouco da sua história.

 

"Comecei trabalhando na limpeza, depois vi oportunidade de crescer e fui me qualificando, para me tornar motorista. Tirei a habilitação, realizei cursos de transporte escolar e de passageiros enquanto estava em outras funções. Quando saí da limpeza, fui promovida para agente de bordo (fiquei por 2 anos), depois para a manobra na garagem, onde permaneci por 2 anos e meio e, desde 2018, estou como motorista. O maior desafio que encontrei na época foi começar do zero, porque eu não tinha experiência, mas a empresa abriu caminhos para que eu conseguisse ingressar. Estou muito feliz na minha profissão e, para aqueles que desejam entrar na área, é preciso se aperfeiçoar e nunca desistir quando encontrar algum obstáculo. Acredito que a vida está em constante movimento”, fala Geslaine Pereira, 36 anos e motorista do BRT Sorocaba. 

 

 

“Estou há 16 anos como motorista. Sempre tive vontade de exercer a função, pois vim de uma família de motoristas. Me sinto realizado com o que faço. Para quem tem o desejo de ser um profissional no transporte coletivo, a primeira coisa que digo é que precisa gostar de verdade deste segmento. Isso porque, temos de trabalhar sempre com muita atenção e cuidado com os passageiros e também no trânsito. Ao longo desses anos, uma história que me marcou foi na linha Maria Eugênia. Lá fiquei rodando por um tempo, fiz amizades com colegas, passageiros e conheci a minha linda esposa. Hoje, somos casados e temos um filho de 7 anos, o Davi”, destaca Emerson Rodrigues, 37 anos e motorista BRT Sorocaba.

 

 

“Participei do Projeto Escalada e, a partir dele, pude me tornar motorista de ônibus. Gosto muito da profissão e já trabalho há cerca de 5 anos como motorista de transporte coletivo. Acredito que, no dia a dia desta função, o segredo é sempre manter a calma e ter segurança nas ações que precisa fazer. Sou apaixonada pelo que faço, tenho um bom relacionamento geral e o fato de ser “mulher motorista” não há diferenças. Todos os colegas são ótimos, temos uma convivência boa e muitos admiram quando vêm uma profissional na direção”, ressalta Claudineia Correa, 35 anos e motorista Consor.  

 

 

“A minha ligação com veículos começou muito jovem. Sempre tive vontade de dirigir e morava no interior, então, minhas primeiras práticas dirigindo foram com trator e camionete. A partir dessas experiências, começou a paixão por dirigir e tive certeza no que queria trabalhar. Gosto da profissão de motorista, das amizades que fazemos e já estou nela há 21 anos. É gratificante fazer algo que se tem satisfação”, explica Hélio Ribeiro, 48 anos e motorista BRT Sorocaba. 

 

 

 

“Eu amo a minha profissão e estou como motorista há 7 anos. Comecei na limpeza e trabalhei 5 anos como abastecedora. Fiz parte do Projeto Escalada e há 3 meses estou como motorista do BRT. O aperfeiçoamento é necessário e sigo nele. Atualmente, estudo para tirar a habilitação categoria E. Para chegar até aqui fui persistente. Tive muitas batalhas no dia a dia, mas nada é impossível. Eu venci”, enaltece Vânia Regina, 48 anos e motorista BRT. 

 

 

 

Publicidade:

Comentários:

Suas informações de contato não serão divulgadas.