Dossiê Labirintite: sintomas, dieta e estilo de vida

Por Dra. Adriana Gimenes Pim
Foto: Divulgação
Foto sobre "Dossiê Labirintite: sintomas, dieta e estilo de vida"

Popularmente sintomas como tontura, vertigem, desequilíbrio ou até mesmo zumbido são chamados de Labirintite.

Vamos entender? Labirintite é um tipo específico de alteração do labirinto relacionada a uma infecção do ouvido, geralmente uma otite média-aguda. Este processo infeccioso-inflamatório também pode comprometer as estruturas do labirinto e os canais semicirculares.

A tontura é uma queixa frequente, mas nem todos os pacientes que sofrem deste mal terão a verdadeira Labirintite manifestada. Há outras desordens vestibulares (disfunções do labirinto) e desordens neurológicas que se manifestam com esse sintoma.

Além da tontura, que é aquela sensação de cabeça vazia, longe ou cheia ou sensação de flutuação, outros sintomas são sugestivos de desordens vestibulares como por exemplo a vertigem, relacionada a uma ilusão de movimento, podendo ser rotatória ou não, e o desequilíbrio.

É muito importante procurar imediatamente ajuda médica adequada e contar em detalhes para o seu médico sobre os sintomas: há quanto tempo ocorrem, quanto tempo dura cada crise e se existem fatores desencadeantes.

Observe-se! E não se esqueça de relatar ao médico se há outros sintomas que acontecem junto com a tontura, a vertigem e o desequilíbrio, como por exemplo: zumbido, sensação de pressão nos ouvidos, dores de cabeça etc.

Comorbidades:

Nosso equilíbrio pode ser prejudicado por algumas doenças sistêmicas. Algumas delas:

Alterações metabólicas. Por exemplo: glicemia alta, colesterol e triglicérides alterados, disfunções da tireoide.

Alterações cardiovasculares: pressão alta, arritmias.

Portanto, é de suma importância manter um bom controle dessas doenças.

Uso de medicamentos, os perigos da automedicação:

As pessoas precisam se conscientizar que medicamentos - até mesmo fitoterápicos, considerados inofensivos - podem ter efeitos colaterais. Alguns deles causam tontura, vertigem e desequilíbrio, ou seja, desencadeiam uma síndrome vertiginosa.

Outro fator que ocorre: o tempo vai passando, vamos envelhecendo, passando por uma série de especialistas e ingerindo remédios daquela famosa listinha diária de medicação. Essa interação entre os medicamentos pode surtir efeitos colaterais indesejáveis como a tontura.

Também é importante informar para cada médico os medicamentos que usa diariamente. Tenha uma listinha à mão se são muitos!

A importância dos bons hábitos para a saúde do labirinto:

Dieta: abuso de doces. Evitar também bebidas com cafeína como café,  chá mate, chá verde e chá preto

Evitar os alimentos processados

Evitar o jejum. Fazer intervalos de no máximo 3 a 4 horas por refeição

Sono: alterações do sono podem desencadear ou piorar as tonturas

Hidratação: o recomendado é ingerir de  2,5 a 3 litros de água por dia

Atividade física regular

Fumo e álcool agem diretamente no labirinto levando a sintomas. Evite!

Resumo – Será que é Labirintite? O que fazer?:

Como vimos alguns sintomas são sugestivos de desordens vestibulares, mas não são exclusivos das disfunções do labirinto. É importante procurar uma avaliação médica para definir qual a causa dos seus sintomas e assim realizar o tratamento mais adequado. É comum o paciente apresentar mais de uma causa de desordem vestibular.

Nessa avaliação médica será feita uma anamnese detalhada, exame físico e se necessário solicitados exames complementares. O tratamento pode ser feito com medicações, manobras específicas como na VPPB, reabilitação vestibular, mudança de estilo de vida etc.

Sobre a Dra Adriana Gimenes Pim

Na condução da equipe interdisciplinar em Saúde e Bem-Estar da Akasha Saúde Integrativa está a Dra. Adriana Gimenes Pim (CRM 83179), Médica Otorrinolaringologista, formada pela ‘UNESP Botucatu – Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho’, pós-graduada em Saúde Integrativa e Bem-Estar pelo ‘Albert Einstein Instituto de Ensino e Pesquisa’.

Médica com mais de 20 anos de experiência, Dra. Adriana oferece atendimento ambulatorial - presencial e por Telemedicina - em Otorrinolaringologia. “Na medicina priorizo o atendimento humanizado, que envolva corpo, mente e espírito no processo de cura, e o paciente como corresponsável por sua saúde, trabalhando comigo”, avalia.

Sobre a Akasha: Akasha é uma palavra em sânscrito que significa céu, espaço ou éter. Segundo a Filosofia Hindu, Akasha quer dizer a energia universal.  “Queremos ajudar o paciente, de forma personalizada e individualizada, nesse processo de encontrar sua melhor versão, seja com ferramentas como Yoga, Psicanálise, Reiki ou Astrologia, seja com a orientação nutricional e física adequadas”, finaliza Adriana.

Publicidade:

Comentários:

Suas informações de contato não serão divulgadas.