07/11/2014 às 11h58min - Atualizada em 07/11/2014 às 11h58min

Novembro Azul adverte sobre os perigos e a prevenção do câncer de próstata

Da Redação: Rafaerl Barbosa - Foto: Divulgação
Da Redação: Rafaerl Barbosa - Foto: Divulgação

A ação social Novembro Azul, que se estende por todo o mês, vem para lembrar a população masculina sobre os perigos da diabetes e principalmente do câncer de próstata. A ação também relembra a importância dos exames de detecção deste câncer, que deve acometer aproximadamente 68.800 homens só em 2014, segundo levantamento realizado pelo Instituto Nacional de Câncer (INCA).

O movimento surgiu na Austrália, em 2003, por conta das comemorações do Dia Mundial de Combate ao Câncer de Próstata, realizado no dia 17 de novembro. No Brasil, a ação tem um forte apoio governamental, sendo idealizada pelo Instituto Lado a Lado pela Vida, em parceria com a Sociedade Brasileira de Urologia (SBU). No dia 03 de novembro as luzes do Congresso Nacional foram tomadas por uma iluminação azul, dando a largada para diversas ações que devem se espalhar por todo o país. As ações têm o objetivo de informar e sobretudo desmistificar a enfermidade e principalmente o famoso “exame de toque”, necessário para se detectar a doença em sua fase inicial.  

O que é o Câncer de Próstata

Conhecido também como Neoplasia, a doença ocorre devido a um crescimento exacerbado e desordenado de algumas células. No caso do câncer de próstata, que é a glândula do sistema reprodutor que armazena os líquidos, essas células podem invadir os tecidos e órgãos e espalhar-se para outras partes do corpo.

A enfermidade é a segunda que mais acomete os homens, perdendo apenas para o câncer de pele não-melanoma. Uma incidência que se explica facilmente através de uma pesquisa realizada pela Sociedade Brasileira de Urologia (SBU), que entrevistou cinco mil homens em 2013. A pesquisa revelou que 47% dos entrevistados nunca realizaram exames para detectar o câncer de próstata, 44% jamais se consultaram com o urologista e 51% nunca fizeram exames para aferir os níveis de testosterona (hormônio masculino) no sangue. Esta falta de cuidado com a saúde faz com que muitos homens percam suas vidas e estima-se que 13 mil brasileiros venham a morrer em decorrência deste tipo câncer apenas neste ano.

Por ser uma doença de desenvolvimento lento, esta acomete geralmente homens acima dos 50 anos. Segundo o Dr. Alexandre Fonseca, membro da Oncomed BH, clínica especializada na prevenção, diagnóstico e tratamento do câncer no estado de Minas Gerais e referencia na área, a enfermidade é silenciosa em muitos casos. “Na fase inicial, os pacientes não apresentam sintomas. Grande parte dos pacientes permanecerá assintomática ou terão sintomas urinários (dificuldade para urinar e aumento da freqüência urinária), posteriormente podendo evoluir para quadro de obstrução urinária, dor no reto ou óssea, fraqueza e desânimo”, afirma.

O método mais rápido é o famoso e temido “exame de toque”, que muitas vezes afasta os homens por conta do preconceito, muitas vezes atrapalhando o diagnóstico de uma doença que tem altos índices de cura se descoberta em sua fase inicial.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://jeonline.com.br/.