Com a eleição de Biden, o que acontece com as relações Brasil-EUA e com os mercados financeiros?

Assessoria de Imprensa Foto: Pixabay
Foto sobre "Com a eleição de Biden, o que acontece com as relações Brasil-EUA e com os mercados financeiros?"

É impossível negar que as relações entre o Brasil e os Estados Unidos passaram por um bom período durante a presidência de Donald Trump. Dois governantes com ideologias muito semelhantes, Trump e Jair Bolsonaro não tiveram dificuldades em estabelecer uma boa comunicação a todos os níveis, desde a política internacional até à política ambiental, sem esquecer os assuntos da economia e das trocas de mercadorias em particular. Recentemente eleito nos EUA, o novo presidente Joe Biden poderá não ter uma postura tão favorável em relação ao Brasil. Representando uma facção política muito diferente da de Bolsonaro, Biden chegou mesmo a falar do Brasil em seus discursos de campanha, mencionado a desflorestação da Amazônia como um flagelo humanitário que precisa de ser focado.

Pode o Brasil enfrentar consequências económicas reais?

Ainda a respeito da crise ambiental na Amazônia, Biden defendeu o estabelecimento de sanções económicas internacionais que devem ser aplicadas ao Brasil de modo a minimizar os efeitos da desflorestação, falando mesmo de um investimento de $20 biliões. Embora esse cenário continue sendo apenas uma hipótese, as consequências para o Brasil podem ser extremamente sérias. Muitas indústrias seriam diretamente afetadas pela diminuição da atividade industrial na Amazônia, e as trocas comerciais entre o Brasil e os EUA poderiam vir a ser taxadas de forma proibitiva. Ainda assim, essas novas medidas de Biden teriam um efeito positivo a longo-prazo, nomeadamente no que à preservação do planeta e da floresta tropical brasileira diz respeito. Mas que outras consequências económicas pode a nomeação de Joe Biden vir a ter?

Acordos comerciais e valorização do dólar

Segundo os especialistas, é pouco provável que Biden altere os acordos comerciais que se encontram em voga entre o Brasil e os Estados Unidos. No entanto, a sua eleição pode vir a ter um impacto significativo no dólar, que se prepara para passar por uma fase complicada. O valor do dólar nos mercados Forex afeta de forma muito relevante não só a economia do Brasil, como a economia de todas as principais potências mundiais. Através de uma corretora Forex de confiança, você pode verificar que o clima de instabilidade mundial tem um peso enorme sobre as flutuações do maior mercado de câmbio do mundo. Nos EUA, fatores como os protocolos de saúde pública, as recentes medidas de quantitative easing, a crescente dívida pública e a premonição de inflação devem constituir prioridades de Biden durante seus primeiros meses como presidente.

Resposta de Bolsonaro

Até ao momento, Jair Bolsonaro apenas abordou os comentários de Biden acerca das sanções ambientais que poderão ser aplicadas ao Brasil. Em resposta aos "20 biliões" mencionados pelo novo presidente dos EUA, Bolsonaro referiu que "[a soberania do Brasil] é inegociável" que "[o Presidente do Brasil] não mais aceita subornos, criminosas demarcações ou infundadas ameaças." Do ponto de vista diplomático, não foi um bom começo para as relações entre os dois países, que deverão se revelar muito mais complicadas durante os próximos 4 anos.

Finalmente, é importante referir que o Governo de Joe Biden deverá manter os mesmos princípios de Donald Trump em certas questões de política internacional, como a situação da Venezuela e a polêmica de segurança nacional envolvendo as empresas tecnológicas chinesas.

Publicidade:

Comentários:

Suas informações de contato não serão divulgadas.