Procon fiscaliza mais de 3.500 comércios no Estado de São Paulo

São Roque, Araçariguama, Ibiuna e Mairinque estão entre as cidades fiscalizadas

Foto sobre "Procon fiscaliza mais de 3.500 comércios no Estado de São Paulo"

Durante os dois meses de quarentena decretada no Estado de São Paulo, equipes do ProconSP fiscalizaram mais de três mil e quinhentos estabelecimentos comerciais a fim de combater o aumento injustificado de preços. Deste total de farmácias, supermercados, hipermercados e outros locais, 89% (3.140) foram notificados a apresentar notas fiscais para verificação da prática abusiva. Entre as 214 cidades visitadas pelo órgão estão São Roque, Araçariguama, Ibiuna e Mairinque.

Os fornecedores que estiverem praticando preços abusivos serão multados; até o momento mais de 3 milhões em multas foram aplicadas. A elevação de preços de itens essenciais, como alimentos, álcool em gel, botijão de gás e máscaras de proteção, é prejudicial à população e é dever legal do Estado interferir.

As ações das equipes são norteadas também pelas denúncias recebidas nas redes sociais do @proconsp, que registraram até o dia 26 de maio quase seis mil relatos de consumidores com problemas relacionados à covid-19, entre problemas com preços e outros assuntos. 

Atendimentos 

O total de atendimentos de consumidores que tiveram problemas relacionados à covid-19, até o último dia 26, soma mais de 16 mil casos, incluindo as denúncias nas redes sociais (5.755), consultas de assuntos em geral (3.883) e reclamações (6.502).

Entre os consumidores que registraram reclamação, buscando a ajuda do @proconsp pra intermediar uma solução junto ao fornecedor, agências de viagens (52% do total das reclamações) e companhias aéreas (25%) são os setores mais questionados.

Como denunciar, reclamar e obter orientações

O @proconsp disponibiliza canais de atendimentos à distância para receber denúncias, intermediar conflitos e orientar os consumidores: via internet (www.procon.sp.gov.br), aplicativo – disponível para Android e iOS – ou via redes sociais; para as denúncias, marque @proconsp, indicando o endereço ou site do estabelecimento.

Comentários:

Suas informações de contato não serão divulgadas.