IML confirma identidade de mulher encontrada morta em São João Novo

Nadia Regina Ferreira tinha 55 anos de idade

Fotos: Reprodução / Internet
Da Redação: Rafael Barbosa
Foto sobre "IML confirma identidade de mulher encontrada morta em São João Novo"

O IML confirmou que a mulher encontrada morta em uma casa, na manhã de segunda-feira (09), na região de São João Novo, é realmente de Nadia Regina Ferreira, de 55 anos, filha de Marlene Ferreira do Nascimento (78 anos), que foi encontrada na mesma residência em estado muito debilitado e, infelizmente, veio a falecer na madrugada de terça-feira (10), na Santa Casa de São Roque.

As autoridades já acreditavam que a vítima era Nadia, porém devido ao estado de deterioração do corpo e a falta de documentos próximos, foi necessária a confirmação através de exames de digitais, realizados pelo IML de Sorocaba, para onde o corpo foi encaminhado, de acordo com informações apuradas por esta reportagem.

Segundo informações oficiais sobre o caso, os vizinhos relataram às autoridades que não viam Nadia ou Marlene há dias e que no dia em questão os vizinhos das mulheres sentiram um forte odor vindo da residência das duas. Quando foram até a casa para procurar as moradoras, avistaram Dona Marlene deitada em uma cama, com uma aparência muito debilitada e confusa, além de encontrarem o corpo de uma mulher no chão do quarto.

O corpo já estava em estágio avançado de decomposição e, assim, a Guarda Municipal foi acionada, comparecendo ao local acompanhada de agentes do CRAS São João Novo. Ao chegarem na residência, os agentes encontraram o local com muita sujeira e em estado de abandono, bem como a presença de dois cães mortos, que estavam próximos ao corpo da vítima. Mãe e filha cuidavam de cerca de 20 animais e segundo informações do Departamento de Zoonoses de São Roque, 7 animais foram encontrados mortos no local e seis foram resgatados e passam por acompanhamento de saúde para posteriormente serem colocados para adoção.

O Serviço de Atendimento de Saúde Municipal (192) foi acionado e conseguiu resgatar Marlene, que foi encaminhada em estado muito debilitado à Santa Casa de São Roque, onde veio a falecer na madrugada de terça-feira (10).

Os guardas acionaram a Polícia Civil da cidade e também peritos do Instituto de Criminalística (IC) da Polícia Civil de Sorocaba, que compareceram ao local após o resgate e depois de realizados todos os procedimentos pertinentes, o corpo de Nadia foi encaminhado ao IML de Sorocaba, onde deve ser liberado para a família já que o corpo foi reconhecido.

Marlene Ferreira do Nascimento foi sepultada no Cemitério do Cambará na tarde de terça-feira (10), sem a realização de um velório. Até a tarde de quarta-feira, o corpo de sua filha, Nadia Regina Ferreira, de 55 anos, ainda estava no IML e não havia data para o seu sepultamento.

Mãe e filha recebiam assistência social municipal desde 1994, entretanto segundo informações da Prefeitura Municipal, as duas eram reticentes em permitir a entrada de estranhos na casa, então procuravam assistência da prefeitura quando necessitavam de atendimento, seja de saúde, busca de cesta básica ou auxilio para benefícios governamentais.

De acordo com informações apuradas por esta reportagem, as duas mantinham uma relação conturbada com vizinhos, o que condiz com depoimentos dados as autoridades por moradores próximos da residência das vítimas, que alegavam que Nadia tinha “um temperamento difícil” e apesar de ter problemas de saúde e ter recebido uma mordida de cachorro recentemente, havia se recusado a receber atendimento médico. Sua mãe, também tinha problemas de saúde e era deficiente visual, além de sofrer de um quadro de diabetes.

Investigações sobre o caso

De acordo com informações da Polícia Civil de São Roque, as autoridades esperam o resultado do exame necroscópico para saberem qual foi a causa da morte de Nadia. Em um primeiro momento, os policiais não acreditam que tenha ocorrido um crime contra as duas mulheres, já que não havia sinais de violência aparentes no corpo de nenhuma das duas ou sinais de arrombamento, bem como outros indícios de crime.

As autoridades esperam o resultado dos exames pós-morte, que devem indicar a causa da morte e quando Nadia morreu.

Comentários:

Suas informações de contato não serão divulgadas.