Polícia encontra corpo de jovem que desapareceu ao sair para comprar fraldas em Alumínio

A identificação foi feita com base nos traços da vítima

Fonte / imagem: Portal G1
Foto sobre "Polícia encontra corpo de jovem que desapareceu ao sair para comprar fraldas em Alumínio"

A polícia encontrou na tarde desta quarta-feira (11) o corpo Aline Silva Dantas, de 19 anos, que estava desaparecida desde a tarde de domingo (8), quando saiu para comprar fraldas para a filha, de apenas um ano e nove meses.  A jovem foi encontrada em uma área de mata fechada, cercada por residências, no bairro Vila Santa Luzia, em Alumínio.

A descoberta acontece após intensas ações de buscas realizadas pelas autoridades, que usaram cães farejadores da  Guarda Municipal de Itupeva, sendo que os animais teriam sido os responsáveis por encontrar o corpo da jovem.

Segundo a Delegada da Delegacia de Investigações Gerais (DIG) de Sorocaba, Luciane Bachir, Aline foi encontrada sem as roupas, coberta por pedaços de madeira e com queimaduras em partes do corpo. As autoridades afirmam que ainda está sendo apurado se ela teria sofrido abuso sexual antes de ser assassinada, constatação que será feita através de exames mais aprofundados e que também indicarão quando a jovem morreu, embora os indícios levem a crer que ela teria sido morta no próprio domingo em que desapareceu.

PUBLICIDADEJORNAL DA ECONOMIA JE

Com a identificação de Aline, cujo corpo já foi reconhecido por familiares, as autoridades deixam de lidar com um caso de desaparecimento e passam atuar na busca do assassino. "Foi um trabalho intenso do Canil da Guarda Municipal de Itupeva, do Superintendente da Defesa Civil de Alumínio, da Polícia Civil de Alumínio e da DIG, com o apoio da Polícia Militar. Forças unidas no sentido de localizar a Aline, que infelizmente foi encontrada morta", completou a profissional a imprensa.

O corpo de Aline foi encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML). As autoridades devem divulgar mais detalhes sobre o caso em breve. 

 

Comentários:

Suas informações de contato não serão divulgadas.

  • Sidnei Antônio camesky junior Camesky

    As pessoas cometem esse tipo de crime porque nossa justiça e injusta!!! Isso tem que mudar!!