Seleção brasileira decepciona e sofre maior derrota de sua história

Alemães conquistam vaga com um jogo impecável

Foto sobre "Seleção brasileira decepciona e sofre maior derrota de sua história"
Creditos da imagem: Da Redação: Rafael Barbosa / Fotos: Jefferson Bernardes/VIPCOMM

A seleção brasileira se despede da Copa do Mundo com a maior derrota de sua história, ao perder para a Alemanha por 7 a 1. Durante os mais de 90 minutos da partida disputada no Mineirão, os torcedores presentes no estádio e em todo o mundo puderam acompanhar uma verdadeira lição de futebol dada pela Alemanha, que disputou cada minuto da partida com calma e com um posicionamento tático praticamente impecável.

A derrota foi inesperada, não apenas pelo placar final, mas principalmente quando levamos em consideração o início da partida, onde um Brasil mais confiante começou impondo seu ritmo, valorizando a posse de bola em um jogo muito estudado. Infelizmente está equipe sumiu quando Müller invadiu a área em um descuido da defesa e abriu o placar.

Depois do gol o Brasil não diminuiu o ritmo e tentou esboçar uma reação, porém mesmo que mantivesse a posse de bola por mais tempo, o nervosismo aliado a forte marcação da Alemanha fizeram a equipe errar passes demais, com os volantes nunca conseguindo avançar com segurança por um meio de campo que parecia tomado por alemães. E enquanto nossa equipe arriscava em passes longos e se apressava ao tentar fazer ligações entre o meio de campo e o ataque, a Alemanha se valia de uma tática mais eficiente, tocando com calma e procurando por um espaço e uma possível falha na defesa adversária.

Deu resultado. Aos 23min, após excelente troca de passe, Klose ampliou o placar após um rebote da defesa de Julio César, em uma bola que o mesmo atacante tinha chutado, deixando muito claro que este não era o dia dos zagueiros da nossa seleção. Depois disto, o jogo pode ter demorado quase 70 minutos para realmente  acabar, mas foi depois deste gol que a seleção brasileira perdeu a partida e um pouco da dignidade conquistada em mais de 100 anos de tradição no futebol.

Depois do segundo gol, demorou apenas seis minutos para que a bola passasse mais quatro vezes pelo goleiro brasileiro e aos 29 minutos do primeiro tempo o Brasil já perdia por extraordinários 5 a 0. Kroos marcou duas vezes seguidas, aos 24 e 26min e Khedira também encontrou espaço para deixar o seu aos 29, terminando com um período de tempo que durou pouco mas que pareceu se estender durante horas e que parecia fazer parte de um grande pesadelo coletivo, não apenas por parte dos torcedores, mas também para toda a seleção brasileira.

Claramente mais assustados a cada gol tomado, os jogadores pareciam estranhamente apáticos, correndo em campo sem qualquer posicionamento tático aparente e deixando que a Alemanha escolhesse como queria jogar e ao final do jogo, já tocava a bola com tranquilidade enquanto esperava por um contra ataque.

O segundo tempo veio com um Brasil disposto a ter uma outra postura, investindo com mais afinco e como resultado chegando mais a defesa da Alemanha. Saem Hulk e Fernandinho, entram Paulinho e Ramires, que mostra serviço logo aos 5min quando  cruzou rasteiro para Oscar, que chutou forte para uma ótima defesa do goleiro alemão, obrigado a se desdobrar depois em outras jogadas, contra outra investida de Oscar e uma de Paulinho. Depois destes bons momentos o jogo volta a fica disputado, mas isto só favorece a Alemanha, que com o jogo claramente ganho prefere se fechar e jogar em cima dos erros da seleção brasileira, se posicionando com perfeição e não deixando que nenhuma jogada mais incisiva penetre em sua área.

A estratégia novamente dá resultado e agora é a vez de Schürrle brilhar com dois gols,  após um passe de Lahm aos 24min e novamente dez minutos depois, ao invadir a área e fazer um golaço com um chute forte e sem chance de defesa para Julio Cesar, que se rende e deita no chão desolado. A partir dai as coisas voltam a se acalmar e quem da show é a torcida brasileira, que vinha apoiando com afinco a equipe brasileira e agora aplaude a seleção alemã, enquanto vaia a própria equipe.

Oscar marcou o chamado gol de honra, mas isto foi irrelevante. A partida termina e com ela a invencibilidade do Brasil, que não perdia uma partida na semifinal de uma Copa do Mundo desde 1938 e mantinha uma invencibilidade em jogos como mandante a 12 anos. No lugar a equipe de Felipão trás dois novos títulos, sendo a equipe a sofrer a maior derrota em 100 anos de seleção brasileira e a equipe a levar a maior goleada em uma semifinal da competição, tudo isto em uma tarde que com certeza vamos demorar a esquecer.   

Comentários:

Suas informações de contato não serão divulgadas.