Procissão para Nossa Senhora de Assunção deixa marca da fé em São Roque

Jornal da Economia acompanhou ato de fé e devoção nas Festas de Agosto

Autora: Vivian Helen
Fotos: Vivian Helen
Foto sobre "Procissão para Nossa Senhora de Assunção deixa marca da fé em São Roque"

Nesta quinta-feira (15), fiéis a santa Nossa Senhora da Assunção e comunidades foram as ruas de São Roque em ato de fé e devoção.

A procissão começou às 17h na Praça da Matriz e andores percorreram as principais ruas centrais da cidade. Mais de 40 comunidades do município participaram e diversas imagens de santos com arranjos florais eram levantadas e seguidas.

No início

PUBLICIDADEJORNAL DA ECONOMIA JE

Antes da procissão começar, a barraca “Artigos Religiosos” recebia atenção dos andores. A barraca continha terços, santinhos feitos de biscuit, quadros e estatuas do padroeiro, santo São Roque.

As voluntárias Maria Regina e Luciana Martins estavam atentas ao movimento e atendiam as pessoas interessadas pelos artigos. Maria Regina participa como voluntária das Festas de Agosto há 30 anos servindo em outras barracas, mas estando de volta a barraca religiosa, conta como é bom receber os turistas e peregrinos da igreja.

“Eu gosto de receber as pessoas com carinho, os turistas e peregrinos que vêm conhecer a igreja. Quando recebemos com carinho, eles levam esse afeto para a cidade deles”, diz Maria Regina.

Luciana Martins vivencia o seu primeiro ano como voluntária e expressa gratidão. “O contato com as pessoas é gratificante”, conta Luciana.

Em frente à Matriz os andores esperavam a procissão começar. Aris Santos participa faz 15 anos das procissões e considera cada caminhada um momento único para sua fé. “Estar aqui é um momento único. É indescritível quando a Nossa Senhora sai da igreja, sinto como uma preparação para receber o santo São Roque, ela abre os caminhos”, fala Aris.

Antes do sol se pôr

Enquanto a procissão já estava nas ruas, algumas pessoas esperavam a Nossa Senhora da Assunção passar. Uma dessas pessoas era Maria Isabel de Moura, conhecida como Belinha. Todos os anos Belinha decora as janelas de sua casa com flores e expõe uma imagem da Nossa Senhora da Assunção à sua espera.

“Eu amo flores, acredito que elas representam os meus sentimentos. Hoje estou homenageando a Nossa Senhora da Assunção com as flores, eu enfeitei essa casa que era do meu avô com todo o amor”, diz Belinha.

Logo na Avenida Rui Barbosa, um coral e o “Mural Vivo” feito por crianças estavam à espera da santa. O tema do mural era “1º Coração de Nossa Senhora”, onde crianças pequenas vestidas de anjinhos cercavam uma jovem que representava a santa de braços abertos, simbolizando acolhimento a fé de todos.

O tradicional “Mural Vivo” é organizado por Gema Masetto, conhecida como Dona Gema. Neste ano completou vinte e três anos de apresentações do mural, como professora Dona Gema sempre teve contato com crianças envolvendo-as com a arte. “Meu trabalho com crianças sempre foi muito legal. Eu adoro trabalhar com crianças” diz.

Emocionada conta a grande importância que a santa Nossa Senhora da Assunção tem para a sua vida. “Ela é uma mãe. Nas horas difíceis é a Nossa Senhora que me ajuda, ela que me fortifica, sinto paz e amparo”, comenta.

À noite

 Fiéis com suas velas acesas faziam a procissão, jovens garotas traziam bandeiras com mensagens de adoração. Os andores com a imagem da santa pararam em frente ao “Mural Vivo”, em devoção exclamaram; Viva a Nossa Senhora!

A procissão teve seu encerramento na Praça Matriz, com hinos, palavra do padre e rezas que expressaram a fé do povo sanroquense.

Comentários:

Suas informações de contato não serão divulgadas.