Porra, Careca! Por que você não foi de carro?

Jornalista Eduardo Barão foi companheiro de Ricardo Boechat nos últimos anos na Band News e escreveu uma homenagem ao parceiro

Foto sobre "Porra, Careca! Por que você não foi de carro?"

 

Eduardo Barão foi companheiro profissional de Ricardo Boechat nos últimos anos. Juntos, eles comandavam a programação da BandNews FM em pleno horário nobre do rádio brasileiro. Eduardo Barão já está com saudades do Boechat — e o Portal Comunique-se reproduziu seu artigo sobre o “Mestre do Jornalismo” que nos deixou. O Jornal da Economia toma a liberdade e também publica na integra a homenagema Boechat.

Porra, Careca! Por que você não foi de carro? Me perguntou se Campinas era longe. Eu falei só uma hora. Sei que queria voltar mais cedo pra curtir as meninas Catarina e a Valentina ou ficar com sua doce Veruska. Mas era para voltar.
Porra, Careca! Por que você foi agora? Depois de se reinventar na rádio e se tornar o maior comunicador do país. Todo mundo acordava às 7h30 para te ouvir falar. Nem que fosse para não concordar. Mas era por meio da sua voz que o povão, pobre ou rico, se sentia representado e com forças para aguentar mais um dia.
Porra, Careca! Quem vai fazer a gente rir agora? Seja com suas histórias pessoais, com seus casos e causos, ou com uma sincronia única com o José Simão. Quem é que vai desrespeitar os horários da programação da rádio? Ou passar por cima de normas, apenas porque elas existem para serem quebradas.
Porra, Careca! Quem é agora que vai usar as palavras corretas, da forma perfeita? Todas concentradas como se um tufão fosse para cima de um político corrupto.

Eduardo Barão e o “gigante” Ricardo Boechat na redação da BandNews FM (Imagem: arquivo pessoal)

“Era por meio da sua voz que o povão, pobre ou rico, se sentia representado e com forças para aguentar mais um dia” (Eduardo Barão sobre Ricardo Boechat)
 

PUBLICIDADEJORNAL DA ECONOMIA JE

Porra, Careca! Quem vai brigar pelo povo? Com unhas, dentes, e todos os direitos e defeitos que sua fúria impunha contra a injustiça. Sem medo de processo ou ameaça. Afinal, a verdade estava ao seu lado e do ouvinte.

Porra, Careca! Quanta falta e quantas saudades você deixou. Mas saiba que não foi à toa o que fez. Sua memória será lembrada como a de um amigo, íntegro e incansável em busca de notícia.

E aqui embaixo, em cima, de um lado eu consigo te ouvir falar: não fode, Barão! E toca esse barco aí…

 

Comentários:

Suas informações de contato não serão divulgadas.