Fevereiro Roxo traz a importância do diagnóstico precoce

Conscientização sobre o lúpus, a fibromialgia e o mal de Alzheimer

Foto sobre "Fevereiro Roxo traz a importância do diagnóstico precoce "

A campanha do Fevereiro Roxo tem o objetivo de conscientizar a população sobre três doenças incuráveis e com altos números no Brasil. Atualmente, cerca de 6.5 milhões de pessoas sofrem com lúpus, fibromialgia ou mal de Alzheimer, sem perspectivas para uma solução. Cada um dos transtornos tem suas peculiaridades, mas todos requerem atenção e cuidados que podem, inclusive, diminuir as dores e desconfortos de seus respectivos sintomas. Confira abaixo informações sobre cada um deles.     

 Lúpus é uma doença autoimune, ou seja, que ocorre quando o próprio sistema imunológico de uma pessoa ataca órgãos e tecidos do corpo, como a pele, articulações, rins e até mesmo o cérebro. Os sintomas incluem fadiga, dores e rigidez muscular, vermelhidões na face em forma de borboleta sobre as bochechas e o nariz, sensibilidade à luz do sol, feridas na boca e queda dos cabelos, entre outros. O lúpus é mais comum entre mulheres e pessoas de etnias afro-americanas, hispânicas e asiáticas, e a maioria dos diagnósticos ocorrem antes dos 40 anos. A verdade é que pouco se sabe, no geral, sobre doenças autoimunes e suas causas, mas pesquisadores acreditam que a exposição extrema aos raios solares podem ser um dos fatores contribuintes ao transtorno.

 A fibromialgia é a condição mais comum entre as discutidas durante o Fevereiro Roxo. No Brasil, por exemplo, cerca de 2,5% da população sofre deste mal, o equivalente a cerca de cinco milhões de pessoas. Esta síndrome é caracterizada por dores pelo corpo inteiro durante longos períodos, com sensibilidade nas articulações, nos músculos, nos tendões e em outros tecidos moles. Junto com a dor, a fibromialgia também causa fadiga, distúrbios do sono, dores de cabeça, depressão e ansiedade. Mais uma vez, as mais afetadas com o transtorno são mulheres, que representam de 70 a 90% das pacientes. E, assim como o lúpus, cientistas e médicos ainda não sabem ao certo quais são as causas da fibromialgia, porém suspeitam que traumas físicos e emocionais, distúrbios de sono, sedentarismo e questões genéticas podem estar relacionados à doença.

PUBLICIDADEJORNAL DA ECONOMIA JE

 O mal de Alzheimer, talvez a mais comum entre as doenças citadas no Fevereiro Roxo, afeta mais de um milhão de brasileiros, com cerca de 100 mil novos casos anualmente. Este transtorno neurodegenerativo provoca o declínio das funções cognitivas, geralmente na terceira idade, reduzindo as capacidades de trabalho e relação social e interferindo no comportamento e na personalidade da pessoa. Um dos primeiros sintomas é a perda de memória mais recente. Com a evolução do quadro, o Alzheimer afeta a capacidade de aprendizado, atenção, orientação, compreensão e linguagem, até que o paciente fique cada vez mais dependente da ajuda dos outros, até mesmo para rotinas básicas, como a higiene pessoal e a alimentação. Pesquisas recentes indicam que o agente causador da doença é a bactéria Porphyromonas gingivalis, que costuma ficar na gengiva do ser humano e tem a capacidade de invadir e inflamar as regiões do cérebro afetadas pelo mal de Alzheimer. Enquanto pesquisadores ainda tentam descobrir mais sobre o transtorno, uma boa higiene bucal pode ser essencial para quem quer evitar qualquer dano no futuro.

 O Fevereiro Roxo tem o objetivo de conscientizar a população sobre estes distúrbios incuráveis que tanto abalam o Brasil. Enquanto as causas de cada uma delas ainda são um mistério para cientistas ao redor do mundo, viver uma vida saudável é a melhor maneira de prevenção. Se você ou um familiar apresentar algum dos sintomas descritos acima, procure um médico o quanto antes. O diagnóstico precoce é a chave para um ganho enorme de qualidade de vida.

Comentários:

Suas informações de contato não serão divulgadas.