Novo limite do FGTS permite aos consorciados adquirirem imóveis de até R$ 1,5 milhão

O trabalhador pode utilizar o FGTS na amortização, liquidação do saldo devedor ou pagamento total ou parcial de parte das prestações do consórcio imobiliário

Embracon
Foto sobre "Novo limite do FGTS permite aos consorciados adquirirem imóveis de até R$ 1,5 milhão"

No primeiro dia do ano entrou em vigor o novo limite máximo do valor do imóvel que pode ser adquirido utilizando recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). O teto, anteriormente de R$ 950 mil, nos estados do Rio de Janeiro, Minas Gerais, São Paulo e no Distrito Federal, passou agora a R$ 1,5 milhão. A medida, anunciada pelo Conselho Monetário Nacional (CMN), permite ao trabalhador consorciado novas opções de compra da casa própria.

No sistema de consórcios, os trabalhadores podem utilizar o saldo do FGTS para oferta de lance ou como complemento da carta de crédito; com o objetivo de adquirir imóvel residencial pronto ou em construção; ou, após contemplação, para amortizar o saldo devedor, pagar parte das prestações ou liquidar o saldo devedor.

“O leque de opções dadas aos trabalhadores de como utilizar o FGTS no consórcio faz com que o sonho da casa própria se torne uma realidade cada vez mais próxima”, destaca o vice-presidente de operações e parcerias da Embracon, Luís Toscano. “É importante, apenas, ficar atento aos pré-requisitos exigidos para usufruir deste recurso como: possuir três anos de trabalho sob regime do FGTS, ter a cota do consórcio no nome do trabalhador, não ser titular de financiamento ativo no Sistema Financeiro da Habitação (SFH) e não ter imóvel no município em que reside ou exerce sua atividade principal”, acrescenta o executivo.

PUBLICIDADEteste

Muitos brasileiros já recorrem a essa prática. De janeiro a setembro de 2018, segundo dados da Associação Brasileira de Administradoras de Consórcio (ABAC), 2.586 trabalhadores participantes do consórcio de imóveis utilizaram cerca de R$ 112,05 milhões do saldo das contas do FGTS. Desse valor, 62% foi direcionado para a aquisição de imóveis prontos, 17,6% no abatimento do saldo devedor, 9,7% para liquidação de saldo devedor, 6% no pagamento de parte das prestações e 4,4% em compra de imóvel em construção.

Consórcio de Imóvel

O número de participantes ativos do consórcio de imóveis cresceu constantemente ao longo de 2018 e alcançou 877 mil consorciados, de janeiro a outubro. Neste mesmo período, 219,75 mil novas cotas foram vendidas, apontam os dados da ABAC. 

Ao longo desses dez meses, o sistema de consórcio imobiliário atingiu o volume de 30,07 bilhões em créditos comercializados, com tíquete médio (valor médio da cota no mês) de 138,6 mil, utilizados por mais de 60 mil contemplados. Ao todo, de janeiro a outubro de 2018, foram disponibilizados 5,99 bilhões em créditos no sistema de consórcio imobiliário brasileiro. 

Comentários:

Suas informações de contato não serão divulgadas.