População protesta no Carrefour de Osasco por morte de cão que teria sido espancado no local

Carrefour e o segurança que teria agredido podem ser processados

Foto sobre "População protesta no Carrefour de Osasco por morte de cão que teria sido espancado no local"

Defensores dos direitos dos animais realizaram um protesto nesta segunda-feira (03) numa unidade da rede de hipermercados Carrefour, em Osasco, devido a morte de um cachorro que teria sido espancado dentro das dependências da loja. Segundo relatos, um funcionário da loja teria espancado o cão de rua na última quarta-feira (28), causando sua morte. Confira o protesto.

"O cachorro foi quase morto a pauladas por um segurança da loja a mando de seu superior responsável, só porque pessoas importantes e diretores da matriz da empresa visitariam a loja. Para fazer "bonito", não queriam o cachorro abandonado rodando por lá. Mandaram eliminar o animal como se não fosse nada e da pior forma possível!", escreveu Isabela Marcelino, responsável pela denúncia, em sua rede social.

Após o ocorrido, a rede de Hipermercado negou que tivesse qualquer relação com a morte do cachorro, atribuindo a responsabilidade do caso ao Zoonoses de Osasco, dizendo que o animal “desfaleceu em razão do uso de um ‘enforcador’”.

A Prefeitura de Osasco negou a acusação, informando que cão morreu após chegar ao atendimento emergencial apresentando hipotensão severa (pressão baixa), hipotermia intensa, hematêmese (vômito com sangue) e escoriações múltiplas, sendo que apesar do tratamento, o animal não resistiu aos ferimentos e veio a falecer.

“No dia 1/12/2018, o Departamento de Fauna e Bem Estar Animal passou a receber informações que se tratava de um caso de maus tratos e foi iniciado a apuração do caso com solicitação de inquérito policial. O inquérito policial está sob responsabilidade da Delegacia Especializada de Osasco. Somente o inquérito poderá indicar as causas da morte e a quem cabe a responsabilidade”, informou a prefeitura.

Um vídeo divulgado através das redes sociais, mostra o animal sendo socorrido pelo agente da prefeitura.

Em seguida o Carrefour emitiu uma nova nota admitindo que houve um “grave problema” no mercado, informando que o agente acusado de espancar o animal foi afastado e que aguarda o resultado do inquérito aberto sobre o caso.

“Estamos tristes com a morte desse animal. Somos os maiores interessados para que todos os fatos sejam esclarecidos. Por isso, aguardamos que as autoridades concluam rapidamente as investigações. Qualquer que seja a conclusão do inquérito, estamos inteiramente comprometidos na reparação desse dano”, continua a empresa.

O caso ganhou repercussão através das redes sociais gerando revolta em diversas pessoas. O presidente da ACRIMESP (Associação dos Advogados Criminalistas do Estado de São Paulo), Ademar Gomes, anunciou que a entidade deve processar o Carrefour e o segurança que teria agredido a pauladas e causado a morte do cachorro.

A prática ato de abuso, maus-tratos, ferir ou mutilar animais pode render detenção, de três meses a um ano, e multa, além do fato de que a pena pode ser aumentada de um sexto a um terço se ocorre morte do animal.

PUBLICIDADE Betway_Casino_Cassino_Online - Bonus 2018 - Mercia 2

Comentários:

Suas informações de contato não serão divulgadas.