Vereadores reclamam de respostas do Executivo aos requerimentos durante sessão

Os vereadores de São Roque reclamaram da falta de clareza nas respostas a seus requerimentos que estão recebendo da Prefeitura do município.

Foto sobre "Vereadores reclamam de respostas do Executivo aos requerimentos durante sessão"
Creditos da imagem: Da Redação: Lucas Caparelli / Foto: Lucas Caparelli

Durante a sessão ordinária realizada na última segunda-feira, dia 17, os vereadores de São Roque reclamaram da falta de clareza nas respostas a seus requerimentos que estão recebendo da Prefeitura do município.

“Nós temos que conseguir essas respostas aos requerimentos. Isso é um desrespeito ao trabalho do Legislativo. Ou essas pessoas são tão incompetentes que não entenderam o que os vereadores queriam”, afirmou o vereador Israel Francisco de Oliveira, o Toco.

O Presidente da Câmara, Rafael Marreiro, também se manifestou: “Quem manda respostas desse tipo ou está escondendo alguma coisa ou a incompetência de alguns não permite a nós receber melhores respostas”.

Foi discutido também o parecer contrário da Comissão de Constituição, Justiça e Redação ao Projeto de Lei 18-L, de autoria do vereador Guto Issa, que autoriza a entrada de agentes de combate a endemias em imóveis particulares fechados ou abandonados para verificar e eliminar focos do mosquito transmissor da dengue.  “São Roque corre o risco de ter uma epidemia de dengue com três casos confirmados dentro do município, ou seja, são pessoas que não saíram da cidade. Esse projeto permite os agentes entrarem em imóveis fechados e assim, eliminar os focos e evitar mortes pela doença”, disse o autor.

“Outro problema é que muitas vezes as pessoas não deixam os agentes entrarem nas suas residências”, levantou o vereador Rodrigo Nunes.

O Projeto 169-L, de autoria dos vereadores Kalunga e Guto Issa, que proíbe a utilização de campos de futebol públicos como estacionamento, foi adiado por duas sessões a pedido do vereador Toco.

O Projeto 13-E, de autoria do Executivo, que prevê a concessão do Recanto da Cascata ao SR Instituto Pró-Cidadania foi aprovado em segunda discussão juntamente a uma emenda supressiva do vereador Guto Issa, que descarta o repasse de dinheiro da prefeitura à instituição.

Por fim, os seguintes Projetos de abertura de crédito especial também foram aprovados:

17 – E – R$ 149.000,00 para a reforma da escola Juca Rocha; 18- E – R$ 747.000,00 para as obras da escola Taipas de Pedra (reforma e ampliação); 19 – E – R$ 656.593,61 para a pavimentação da Rua Anésio de Moraes, no Jardim Maria Trindade; 20 – E R$ 78.000,00 destinados a obras de drenagem pluvial no Jardim Renê.  

Em sessão extraordinária, o Projeto 2 – E, que prevê alteração na lei do Conpreha (Conselho de Preservação do Patrimônio Artístico Paisagístico e Cultural)   também foi aprovado.

Publicidade:

Comentários:

Suas informações de contato não serão divulgadas.