O luto além da morte

O luto além da morte

- Imagem: Divulgação /Internet

Todos sabemos do brasileiro que foi executado esta semana na Indonésia, país de maioria islâmica onde as leis e regras são extremamente rígidas e levadas a sério. O caso gerou controvérsias entre as pessoas a favor e as contra a pena de morte.

Falar da morte alheia é fácil, todos tem uma opinião a respeito, mas falar de sua futura própria morte ainda é tabu para a maioria das pessoas. Todos sabemos que um dia iremos morrer mas ninguém quer falar a respeito.

A tanatologia é o estudo cientifico da morte. A palavra deriva do grego Tanatos, que é o deus da morte na mitologia grega.

Para morrer basta estar vivo.

Se há vida ou não após a morte, depende das crenças religiosas de cada pessoa.

Com a morte de um ente querido, seja ele um ser humano ou um outro ser vivo, ocorre o processo de Luto.

O luto é uma reação natural e um processo lento e doloroso de adaptação que seguem as perdas importantes que sofremos na vida.

Luto não é somente a perda de um ente querido por falecimento. Ter um brinquedo, que se adorava, perdido, roubado ou destruído, aos 6 anos de idade, ou um cãozinho de estimação atropelado, também são formas de luto. Não importa se era um objeto inanimado ou um animal; o que importa é que eles tinham grande significado na vida daquela pessoa e houve uma perda, e como tal passível do mesmo sentimento de dor e angústia do luto.

Outras perdas importantes que também podem gerar a dor e a angústia do sentimento de luto são: Invalidez após um acidente, perda de algum membro (mão, perna, pé, braço), sujeição a mastectomia, perda da visão, um estupro e até mesmo a perda do emprego.

Para muitas pessoas outras formas de perdas incluem, deixar de ter esperança em uma meta que se tinha definido para si mesmo, mudar forçadamente de casa, de cidade, de estado, de país ou sofrer uma ruína econômica. Estes eventos são considerados perdas que geram sentimentos angustiantes como no luto.

Saiba reconhecer o sofrimento alheio e respeitar. Não de risada e não faça pouco caso se uma pessoa sofre por algo que você não ache importante. Se não puder ajudar e dar uma palavra de conforto, é melhor ficar calado. 

Por: Sandra Maria Duarte

indiagestao.blogspot.in

Veja mais em jeonline.com.br/colunistas

Foto

Sandra Maria Duarte

Sandra Maria Duarte é Professora, geógrafa e psicanalista e vive na Índia O Melhor Blog sobre a Índia é Sucesso entre Jornalistas e Professores. Tema de tese de Doutorado, Mestrado e diversos TGs. Fonte da novela Caminho das Índias. https://indiagestao.blogspot.com

ver mais
Publicidade:

mais de Sandra Maria Duarte

Comentários:

1