Partiu Dona Cida!

Partiu Dona Cida!

No Litoral Paulista a primeira madrugada deste ano teve uma temperatura agradável. Foi num ambiente hospitalar que com mais de 90 anos a Dona Cida respirou pela última vez. Mas não foi só a respiração que parou. Um pouco de nós sempre vai junto com quem parte antes. Com ela se vai as várias personas que criou durante sua vida. Partiu Dona Cida Candu! Levando o sobrenome do pai ela se reconhecia ao exercitar sua fé participando das missas e procissões em São Roque. Com sua bata impecavelmente  branca e bordada levava com respeito e seriedade as responsabilidades que lhe eram conferidas. Partiu Dona Cida Camargo! Foram inúmeras as vezes que encontrei Dona Cida descendo a Rua  Tibiriçá com sua bengala e um largo sorriso. Em nossas despedidas nunca faltou o “Deus te abençõe, meu fiho". Costumo dizer que não importa se você tem uma crença ou não. Ao ouvir uma pessoa te abençoar agradeça. Isso é afeto. E o afeto da onde vier é bom. Partiu a Dona Cida da banda! Nunca mais nosso 07 de Setembro será o mesmo. Quem fosse à praça da Matriz em São Roque neste dia já sabia que ouviria a poesia declamada por ela. Nenhum cerimonial precisava se dar ao trabalho de convidá-la. Ela estaria lá com certeza. Atrás dela ouviríamos os acordes da banda 07 de setembro. A ela não se interessava se as tubas ou trombones estavam na frente, se a banda tinha problemas estruturais ou as questões políticas. Ela gostava da banda e de participar do evento. Era só isso. E para nós cidadãos era o bastante. O olhar altivo e brilhante que trazia marchando junto da banda é inesquecível. E o que não partiu? Enquanto uma pessoa fizer música de banda lá estará viva a emoção da Dona Cida. Quando alguém ler uma uma poesia lá estará a fibra da Dona Cida defendendo a arte de declamar. Nem mesmo a soberana morte pode apagar as boas memórias e emoções. Nestes casos a vida sempre é mais forte. Vá em paz, Dona Cida!

Foto

Rogério Alves

Rogério Alves estudou regência na ULM (Universidade Livre de Música), é formado em prática de regência pelo Conservatório J. S. Bach e Gestão Pública pela UNIP. Atua na área da cultura, educação e da assistência social há mais de 20 anos. Foi criador de projetos como o Auto de Páscoa, Núcleo de Artes do CEC Brasital. Foi premiado pela criação do Programa de Boca Aberta - Musicalização Estudantil - escolhido para...

ver mais
Publicidade:

mais de Rogério Alves

Comentários:

1