“A vida é de fato muito curta para ser pequena”. (Cortella)

“A vida é de fato muito curta para ser pequena”. (Cortella)

Tem histórias de algumas pessoas que podemos contar mil vezes e sempre terá um fato novo. Eu já falei uma vez da Selma Barreto. Mas a pandemia a colocou em evidência de forma diferente. Quando conheci a  Selma num primeiro momento achei ela com cara de rabugenta. Vai ver até que era mesmo, É isso que a idade faz com a gente, né? Com o passar do tempo, já não serve qualquer conversa. De pessoas chatas então queremos distância, Preferimos nossas pantufas do que conviver com gente reclamando. Queremos falar nossos palavrões sem repreensão. Somos vinhos de boa safra que não frequentam qualquer taça. E a Selma tem outra característica que colabora com isso: ela é igual aqueles times com grandes torcidas que ou se ama ou odeia, mas que no fundo é sempre uma paixão. Dona de um humor fantástico distribuído fartamente pelas redes sociais e uma língua afiada usando caixa alta nas letras para falar de alguma coisa que não concorda, na pandemia tornou-se nossa celebridade do humor. Um dia ainda vou descobrir onde que ela achou tanta piada para postar. Muitas vezes me peguei gargalhando sozinho durante este período de tanto isolamento. O riso é resistência, como dizia o ator Paulo Gustavo. E para nossa sorte a Selma é uma resistente, teimosa e astuta. Confesso que ela me salvou de muitos momentos melancólicos com suas graças. Se eu concordo com tudo? Claro que não. Algumas piadolas destoam do momento onde muitas pessoas sofrem com machismo, racismo e outras mazelas. Mas para isso tenho esperança baseada em fatos reais. Primeiro porque tenho certeza que facilmente a Selma poderá descobrir o tom do seu humor dando um simples “Google”. E em segundo porque já fui atendido pela Selma em sua casa e tratado com tanto respeito  por quem eu sou e pela minha história que me senti completamente acolhido e abraçado. Sendo mais direto me senti amado,  E como se não bastasse tudo isso mais uma vez ela traz leveza para o final deste ano difícil. No dia 20 de Novembro postou: PRECISO DE BRINQUEDOS. E assim começou mais uma campanha de natal. E a cada semana vemos um "EBAAAAAAAAAAA, estão chegando os brinquedos”. É muito bom ver pessoas praticando o esperançar. Esperançar é ser capaz de buscar o que é viável, Em dias como estes precisamos ter paciência com quem não consegue ir atrás das coisas. Afinal cada um sabe de suas dores e limitações. Mas também  é preciso aplaudir e animar quem ainda tem forças. É desta forma que cada elo fortalece a corrente e ela se torna cada vez mais resistente. Por mais Selmas em nossas vidas. VIVA!

Foto

Rogério Alves

Rogério Alves estudou regência na ULM (Universidade Livre de Música), é formado em prática de regência pelo Conservatório J. S. Bach e Gestão Pública pela UNIP. Atua na área da cultura, educação e da assistência social há mais de 20 anos. Foi criador de projetos como o Auto de Páscoa, Núcleo de Artes do CEC Brasital. Foi premiado pela criação do Programa de Boca Aberta - Musicalização Estudantil - escolhido para...

ver mais
Publicidade:

mais de Rogério Alves

Comentários:

1