“Data Venia”

“Data Venia”

Pedindo permissão logo no título da coluna para falar desta pessoa tão nobre. Claudia Pedroso é mulher, mãe, esposa, avó, advogada e agora mais recentemente vereadora em São Roque. Mas sobre sua atuação enquanto agente público podemos acompanhar facilmente pela imprensa ou redes sociais. Quero falar da Claudia que não fica na vitrine. Eu a conheço há muito tempo e o respeito por sua pessoa foi construído através do processo de convivência. Sua capacidade em gerenciar conflitos de forma humanizada sempre chamou a atenção. Talvez por isso tenha escolhido atuar em causas sérias, importantes e sensíveis como o  Transtorno do Espectro Autista e da Pessoa Surda e/ou Deficiente Auditiva. Eu vejo a presença de uma profissional da área jurídica neste meio como de fundamental importância para elevar o patamar destes temas que facilmente entram no  senso comum e podem ficar no viés da compaixão e do assistencialismo.  E tudo o que não precisamos é que qualquer pessoa seja tratada com dó ou pena. Enquanto sociedade precisamos lutar para garantir os direitos destes cidadãos e suas famílias através das políticas públicas e a persistente defesa dos  direitos civis. Isso a Claudia faz com maestria. E o melhor é que estas ações sempre vêm acompanhadas de um largo sorriso. É fato que temos uma característica em comum que nem sempre traz muita popularidade: quando somos perguntados falamos o que pensamos. Prefiro sempre ficar com o lado bom disso. Em geral as pessoas envolvidas em causas sociais não escolhem os holofotes até por respeito aos atendidos. Mas precisamos mudar um pouco este conceito. Essas pautas precisam de mais destaque para que ganhem força. Uma das ferramentas que temos em mão é jogar luz a essas pessoas que como formiguinhas formam um grande exército. Essa talvez seja uma forma de construir nosso formigueiro (sociedade) de forma mais justa e solidária.  Por mais pessoas que pratiquem a empatia de direito e de fato.  “Quando me atrevo a ser poderosa, a usar minha força ao serviço da minha visão, o medo que sinto se torna cada vez menos importante.” (Audre Lorde)

Foto

Rogério Alves

Rogério Alves estudou regência na ULM (Universidade Livre de Música), é formado em prática de regência pelo Conservatório J. S. Bach e Gestão Pública pela UNIP. Atua na área da cultura, educação e da assistência social há mais de 20 anos. Foi criador de projetos como o Auto de Páscoa, Núcleo de Artes do CEC Brasital. Foi premiado pela criação do Programa de Boca Aberta - Musicalização Estudantil - escolhido para...

ver mais
Publicidade:

mais de Rogério Alves

Comentários:

1