Coluna VITRINE

Coluna VITRINE

“O que faz um jardim são os sonhos do jardineiro” (Rubem Alves)

Eu tinha 19 anos quando fui convidado para trabalhar no extinto PROFIC - Programa de Formação Integral da Criança. O convite foi feito pelo então coordenador do programa, engenheiro Mário Luiz Campos de Oliveira. Nos anos que convivemos conheci o “cara” que acreditava na educação de uma forma visionária, quase ufanista.

Da mesma boca que saiam as broncas (aos berros) para professores e alunos que chegavam atrasados eu ouvi pela primeira vez: “Nunca deixe que tratem sua arte como artigo de perfumaria”. Este ensinamento me acompanha a vida toda. Durante uma certa campanha política o chamaram de "jardineiro mais caro de São Roque” por conta da sua preocupação com a limpeza do gramado e com as plantas da Brasital.

De certa forma era mesmo um jardineiro, mas de sonhos. Contrastando com sua fisionomia dura, a sensibilidade aflorava ao caminhar com os alunos e professores no dia da árvore ou no início da primavera ouvindo música de pássaros no seu velho rádio ou declamando uma poesia enquanto cada um de nós plantava uma árvore. Aos menos avisados, a sua sinceridade poderia parecer crueldade. Já para os que o conheciam melhor era sinal de respeito e admiração.

Eu particularmente adorava a sua franqueza quase mortal, mas confesso que tinha receio de não resistir ao dia a dia. Atualmente, a antiga fábrica Brasital que ele chamava de casa leva seu nome. Homenagem mais do que merecida para o homem que tinha no oportunizar uma meta de vida.

E neste sentido suas ações marcaram gerações. Pratico meu “esperançar” iluminado por seu exemplo, trabalhando por um mundo com pessoas livres para opinar sem receio de ataques demagógicos. Pela educação como um direito antes de uma exigência para o mercado de trabalho. Para o entendimento da arte como um pilar na formação do ser humano antes do simples entretenimento. Sigamos!

Foto

Rogério Alves

Rogério Alves estudou regência na ULM (Universidade Livre de Música), é formado em prática de regência pelo Conservatório J. S. Bach e Gestão Pública pela UNIP. Atua na área da cultura, educação e da assistência social há mais de 20 anos. Foi criador de projetos como o Auto de Páscoa, Núcleo de Artes do CEC Brasital. Foi premiado pela criação do Programa de Boca Aberta - Musicalização Estudantil - escolhido para...

ver mais
Publicidade:

mais de Rogério Alves

Comentários:

1