Será que desta vez o governo encontrou São Roque no mapa?

Cobranças já são antigas e nenhuma providência foi tomada até o momento

Será que desta vez o governo encontrou São Roque no mapa?

A notícia boa da semana é que finalmente a ARTESP – Agência de Transporte do Estado de São Paulo e a concessionária CCR ViaOeste deram as caras em São Roque para checar alguns problemas da cidade.

Até que enfim, porque as cobranças já são antigas e nenhuma providência foi tomada até o momento.

Em 2018 estive acompanhando a audiência pública no Centro Cultural Brasital sobre a continuidade da duplicação da Rodovia Raposo Tavares, entre Vargem Grande Paulista a Sorocaba.

Na oportunidade o  prefeito Claudio Góes cobrou da concessionária um maior cuidado nos serviços, falou da falta de segurança na rodovia e dos constantes acidentes no acesso Lívio Tagliassachi, rodovia que liga São Roque até a Castello Branco.

Outros políticos e populares também se manifestaram e mostraram toda a insatisfação gerada após a duplicação da rodovia entre São Roque a Mairinque.
Faltou cuidado e engenharia, faltou humanismo na realização da obra e atenção com a população. Faltou respeito nessa “obra” de engenharia, paga com o nosso rico dinheiro.

O Jornal da Economia esteve presente na ocasião e também cobrou ações do Governo do Estado e da concessionária.

Na oportunidade quando foi liberada a palavra, questionei a concessionária sobre os transtornos causados na duplicação realizada entre São Roque a Mairinque, dos moradores que ficaram ilhados nesse trecho e da falta de segurança na região do km 57 -  proximidades do Hotel Alpino e Auto Posto Alaska.

Nessa região ocorrem muitos acidentes, muitos deles com mortes, por imprudência de motoristas que cruzam a rodovia como se estivessem numa rua comum da cidade.

Ali falta sinalização, a pista não é dividida, não existe um retorno e o motorista, se quiser alguma segurança, tem que retornar lá em Mailasqui.
Naquela oportunidade também falei para o presidente da ViaOeste e para toda a sua diretoria que a empresa teria a obrigação  de assumir o Acesso Lívio Tagliassachi.

Afinal, o bom filé mignon que é a Castello Branco a concessionária já tem, a Raposo Tavares que ainda não está totalmente duplicada também, mas pagamos pedágio e não é barato.

E o detalhe é que os caminhões saem da Raposo Tavares, passam pela Avenida Bernardino de Lucca, detonam a via e seguem pela Lívio Tagliassachi para entrar na Castello Branco.

Acesso que deveria ser duplicado pela concessionária que também precisa roer o osso e não ficar só com o filé, mas para isso acontecer depende do Governo do Estado de São Paulo que precisa incluir esta clausula no contrato.

Quando o ex-governador Geraldo Alkmin esteve em São Roque para inaugurar a Estação de Tratamento de Esgoto, voltamos a falar sobre o assunto e ele disse que isso poderia acontecer, mas só mesmo quando houvesse a mudança no contrato que vai terminar em 2022.

Recentemente na inauguração do Aeroporto Catarina, o JE cobrou do Governador João Dória sobre as possíveis melhorias do Acesso à Castello Branco. Na ocasião, o prefeito também fez diversos pedidos, dentre eles a duplicação da rodovia.
Quanto a visita dos órgãos do governo nesta semana em São Roque, esperamos que de fato se tome uma providência eficiente e não seja só para inglês ver.
Esperamos que o Governo do Estado de São Paulo olhe para a nossa cidade e região com mais carinho e não apenas em anos eleitorais.
O Jornal da Economia vai continuar fazendo a sua parte que é a constante cobrança das autoridades públicas visando a melhoria da nossa região.

Imprensa, vereadores, prefeito e população têm mais força e juntos conseguem fazer a diferença, caso contrário, continuaremos patinando sem nenhum resultado e recebendo apenas tapinhas nas costas e promessas em anos eleitorais.

Foto

Carlos Mello

Carlos Mello é Jornalista formado pelas Faculdades Integradas Alcântara Machado – FMU - FIAM, Radialista e Mestre de Cerimônias em eventos. Também é fundador do Jornal da Economia, veículo que há 29 anos atua em São Roque e região através do seu jornal impresso, portal on-line e mídias sociais.

ver mais
Publicidade:

mais de Carlos Mello

Comentários:

1