Nutrição Cerebral – Aprendizagem do Adolescente!

Atualmente especialistas discutem a importância da nutrição cerebral

 Nutrição Cerebral – Aprendizagem do Adolescente!

Hábitos alimentares interferem diretamente na qualidade de vida das pessoas, porém ainda é muito recente as pesquisas relacionadas a Nutrição Cerebral, e como a qualidade alimentar pode favorecer ou interferir a saúde cerebral. Assim o que vem mais chamando a atenção no momento é a relação entre a nutrição e a aprendizagem do adolescente?

Atualmente especialistas discutem a importância da nutrição cerebral destacando a influência alimentar na redução ou aumento da capacidade de inteligência. Desta forma sugere-se que é possível melhorar a qualidade de ensino adotando nutrientes adequados do desenvolvimento intelectual do indivíduo. Neste contexto ressaltamos a importância das proteínas para o desenvolvimento cognitivo, e alguns estudos afirmar que: “A formação de uma memória resulta de modificações ativadas por um sinal nas conexões das redes neuronais.

Quando uma informação é recebida, proteínas e genes são ativados nos neurônios. Proteínas são produzidas e encaminhadas para as conexões estabelecidas entre neurônios. Essas proteínas servem ao reforço e à construção de novas sinapses – aprendizagem (os locais de comunicação entre os neurônios). Quando se forma uma nova memória, uma rede específica de neurônios é elaborada em diversas estruturas cerebrais, principalmente no hipocampo e depois a lembrança é gravada da mesma maneira no córtex, local de seu armazenamento definitivo (MELO – 2005)”. Além do equilíbrio proteico nosso cérebro também necessita de quantidades suficientes de gorduras boas para funcionar de forma eficiente.

PUBLICIDADEJORNAL DA ECONOMIA JE

A ingestão de gorduras trans (exemplo: margarinas, pipocas de micro-ondas, bolos industrializados, sorvetes) e de aditivos químicos (as substâncias utilizadas para conservar e melhorar a cor dos alimentos industrializados) em excesso intoxicam os neurônios, comprometendo o desempenho cerebral, podendo causar demência, déficit de atenção, ansiedade e depressão.

Assim convido-os a pensar ...

“Qual a qualidade nutricional que estamos estimulando em casa, para que a saúde cerebral de nossos filhos tenham um desenvolvimento positivo?”

“Qual a qualidade de informações estamos permitindo que nossos jovens tenham acesso?”

 “Será que um cérebro deficiente de nutrientes pode ficar susceptível a apenas receber informações, sem a condição de raciocínio próprio devido a sua fragilidade cognitiva?”

Por isso acredito fielmente que podemos sim através de uma boa qualidade alimentar estimular nossas crianças e adolescentes a serem pessoas mais saudáveis, felizes e realizadas!

 

Foto

Dra. Priscila Cardoso Delmenico

Bacharel em Nutrição, Pós-graduanda em Nutrigenômica e Alimentos Funcionais. Licenciatura Plena - Coordenadora e Docente de Curso Téc. Em Nutrição e Dietética. Cursando Medicina Tradicional Chinesa e Coaching de Emagrecimento.

ver mais

mais de Dra. Priscila Cardoso Delmenico

Comentários: