Origem da dívida

Origem da dívida

Uma pessoa costuma gastar mais do que ganha e com isso normalmente usa o cheque especial. Ela é uma compradora compulsiva e está sempre gastando.

Sua renda padrão é de R$ 10.000 e gastos de R$ 11.000, deixando um saldo negativo de R$ 1.000. O cheque especial dela custa 10% de juros e com isso ela paga R$ 100,00 e fica com saldo negativo de R$ 1.100,00. Agora ela tem dois problemas: o consumismo que a leva a gastar mais do que ganha e portanto é a origem da dívida e os juros do cheque especial que entram como uma despesa cara e da qual não se usufrui nada além do alívio da ansiedade de gastar. Continuando neste ritmo, a cada imprevisto ela usará mais dinheiro ainda do cheque especial e a dívida crescerá rapidamente.

Se ela ultrapassar o valor limite estabelecido, pagará tarifas altíssimas diariamente (neste caso acho justo) e terá agora 3 problemas a resolver, o que provavelmente a levará ao CCF. Para “limpar” o nome ela terá que desembolsar mais dinheiro. Se contratar um empréstimo para quitar o cheque especial, ela pagará IOF, tarifas e seguro, além dos juros do empréstimo, é claro. Com todos estes problemas, ela está longe de resolver o consumismo, pelo contrário, continua comprando compulsivamente…

POR ISSO PENSE BEM, MAS MUITO BEM MESMO, ANTES DE SAIR GASTANDO DO CHEQUE ESPECIAL OU CARTÃO DE CRÉDITO (a não ser que pague sempre a fatura integralmente).

Foto

Andréa Voûte

Desde 2002 Andréa Voûte ajuda pessoas a lidarem melhor com o seu dinheiro individualmente, em família ou nas micro e pequenas empresas. Foi bancária e hoje é Consultora financeira e palestrante na Voute Contar. Autora do livro Finanças pessoais uma gestão eficaz, criou vários cursos, controles e métodos de consultoria e planejamento. contato@voutecontar.net.br

ver mais

mais de Andréa Voûte

Comentários:

1