Mário Luiz Campos de Oliveira duas vezes prefeito de São Roque

Mário Luiz Campos de Oliveira duas vezes prefeito de São Roque

Mário Luiz Campos de Oliveira (12 de junho de 1928) foi prefeito de São Roque em duas oportunidades 1960/63 e 1983/88. É, sem dúvida alguma, um dos grandes filhos desta terra com administrações que conquistaram elevada aprovação da população. Faleceu aos 88 anos, na sexta-feira dia 2 de dezembro de 2016. O sepultamento foi no dia seguinte no Cemitério da Paz.

No final dos anos 50, representou a renovação política de São Roque sendo apresentado em um famoso jingle eleitoral como “moço bom engenheiro”.

Lembrada até hoje, a música “Nossa Campanha” é uma paródia de “Pastorinhas” (Noel Rosa e Braguinha) feita por Paschoal Rabechini e Odilon Boschetti e conta com uma locução do próprio Odilon Boschetti convocando o eleitor para cabine indevassável marcar com um “X” o nome de Mário Luiz.

Na eleição de 4 de outubro de 1959, Mário Luiz somou 2.929 superando Abel de Almeida (2.200) e Benedito de Góes, o Nenê da Farmácia (1708). No primeiro mandato teve Vasco Barioni como vice-prefeito. O dono do Cine São José que foi cantado como o “ideal companheiro”.

Mário Luiz sempre defendeu seus ideais com firmeza e por isso foi perseguido e preso durante a revolução militar de 1964.

Com a volta da democracia, elegeu-se prefeito de São Roque pela segunda vez no dia 15 de novembro de 1982 tendo Zito Garcia como vice-prefeito para o mandato de 1983/1988. Desta vez, a campanha foi no ritmo de um samba de Iberê do Morro. “Taí, taí com seu povo de volta; taí com seu povo feliz. Taí com o seu povo de volta; nas urnas com Mário Luiz”.

Obteve uma vitória estrondosa conquistando 68,28% dos votos válidos (15.083). Os governos de Mário Luiz sempre foram voltados para o social com grandes investimentos na saúde e na educação.

Programa de Rádio

No dia 14 de junho de 1986, Mário Luiz passou a ter um contato semanal com a população. Neste dia, foi ao ar o programa “A Cidade no Rádio” na Rádio Universal de São Roque (1.460 KHz), onde o prefeito respondia perguntas de ouvintes, de vereadores e fazia um resumo dos principais assuntos da semana.

Tive a oportunidade apresentar o do programa, que nunca recebeu ajuda financeira da Prefeitura. Inicialmente era gravado na manhã de sábado por volta das 8 horas e levado ao ar no final da manhã. Algum tempo depois, Mário Luiz achou melhor gravar no gabinete.

Assim durante um bom tempo, marcava presença no gabinete no início da noite de sexta-feira. Em muitas oportunidades, Mário ainda estava em audiência ou assinando documentos. Era convidado a ficar no gabinete esperando o momento de gravar.

Lembro que a gravação só começa depois de despachar todos os documentos e anotar uma série de informações em folhas de sulfite que depois eram organizadas em pastas. Mário era muito criterioso e anotava, por exemplo, diariamente o número de passageiros transportados pela SanTC.

Tenho quase certeza que enquanto prefeito não perdeu nenhum um dia de trabalho e nem tirou férias. Na sua mesa de trabalho, entre outros objetos, tinha uma bandeira da cidade de Fafe presente do empresário português Adriano Dias Araújo. A pequena lembrança tinha uma história interessante.

O proprietário da Inal (Indústria Nacional de Artefatos de Latex), fabricante de preservativos, queria que São Roque se tornasse cidade irmã da sua terra natal que fica na região norte de Portugal.

Para isso, seria necessário que o prefeito fosse para Portugal com tudo pago, sem gastos para o cofre público. A parceria não saiu porque no máximo ele aceitava ficar um final de semana fora de São Roque. Afinal, segunda-feira era dia de trabalho na Prefeitura.

Confira mais sobre a vida e obra de Mario Luis através do Portal Vander Luiz.

Foto

Vander Luiz

ver mais
Publicidade:

mais de Vander Luiz

Comentários:

1