Tender, peru e chester. Qual a diferença desses três ícones natalinos?

- Foto: Reprodução / Internet

O Natal é uma grande oportunidade de reunir a família em um clima de fraternidade, troca de presentes, muita alegria e diversão. E nada junta todos esses elementos de forma mais deliciosa do que a ceia de Natal, uma refeição recheada de pratos típicos que geralmente não aparecem na nossa mesa em outras épocas do ano. Os três mais comuns são o Chester, o peru e o tender. Mas você sabe o que é um Chester? Acha que tender tem a ver com a música do Elvis Presley? E o peru, é só uma galinha gigante? Como assar os três? Com o que servir? Aqui estão as respostas que vão deixar o seu Natal mais delicioso.

Chester, o nosso Astro !

O Chester é praticamente um herói nacional, firme, forte e de peito estufado e coxas torneadas na mesa de milhões de brasileiros, fazendo a alegria do Natal. No entanto, quase ninguém sabe o que ele é, de fato. Um pássaro? Um avião? Nada disso. O Chester é um tipo especial de frango que foi selecionada para ter baixo teor de gordura, alto teor de proteínas e 70% de sua carne nobre concentrada no peito e nas coxas. Ou seja, é tudo de bom, em tamanho família.

O nome não indica uma espécie de ave. A palavra, derivada de chest(peito, em inglês), é marca, que uma famosa empresa brasileira trouxe dos Estados Unidos em 1979. Sua carne é macia e suculenta, o Chester já vem temperado, prontinho para ir ao forno na noite de Natal ou ser incrementado com sua receita favorita.

Para dar a sua cara que tal marinar a carne, cobrindo com água, sal, ervas, como alecrim e salsinha, e um pouco de suco de limão ou vinagre em uma vasilha? Um truque é usar um saco de assar - que você encontra com facilidade no supermercado - que garante que o tempero fique espalhado por toda a carne. Para manter o peito suculento, fica a dica: cubra essa parte- e apenas ela! - com papel alumínio por mais ou menos 1 hora (O ideal é não deixar todo o tempo de cozimento). Dessa forma, você desacelera o cozimento do peito, que pode ficar ressecado antes do resto do Chester estar pronto.

Para acompanhar, uma boa dica é uma tradicional farofa natalina, além de uma salada de batatas ou salpicão. Vai ficar uma delícia!

Peru, a tradição norte-americana

O peru é uma ave de grande porte, nativa da América do Norte e é tradicionalmente servida em dois grandes feriados nos Estados Unidos: o Dia de Ação de Graças e no Natal. Ele tem uma carne bastante saborosa, peito com carne branca e coxas mais rosadas.

Uma das coisas mais surpreendentes sobre o peru é o próprio nome da ave, que é praticamente uma salada de referências erradas de geografia. Quando os europeus encontraram os primeiros perus, acreditavam, incorretamente, se tratar de uma espécie encontrada na Turquia, por isso, o nome turkey em inglês. O nome em português é derivado de uma confusão similar: ora pois, nossos antepassados portugueses achavam que a ave era trazida do Peru.

Assim como o Chester, o Peru é comercializado temperado suavemente, pronto para receber seu toque especial, além dos miúdos, que podem ser usados para rechear com uma farofa espetacular. E para não perder o ponto do cozimento, é fácil: ele já vem com termômetro que avisa quando está pronto.

As dicas para manter o peru bem suculento e macio são parecidas com às do Chester. É importante deixar a carne marinando com temperos ou, pelo menos, na água com sal. Isso ajuda a impedir que o peito fique ressecado antes das coxas ficarem prontas. O sabor é mais marcante que o do Chester e a carne costuma ter uma textura um pouco mais rígida. Para acompanhar, sugiro em apostar em uma farofa com bacon, saladas com maçã e molho com sabor mais ácido. As castanhas também podem completar, já que são uma tradição de Natal e encaixam muito bem com o sabor da carne.

O que, afinal, é um tender?

O tender, diferente do Chester e do peru, não é uma ave, nem é derivado de uma. Na verdade, ele é o pernil defumado do porco, ou um tipo de presunto. Geralmente em formato bolinha, o tender já costuma vir desossado e pré-cozido, mas ele fica muito mais suculento quando assado e temperado do seu jeitinho! Tradicionalmente, o tender é preparado com frutas ou marinado em outros ingredientes doces, como melado de cana, o que cria um contraste muito gostoso com a carne mais salgadinha do porco.

A farofa, especialmente se for temperada com bacon ou outro corte de porco, encaixa como uma luva como complemento do prato, que já tem um sabor relativamente complexo e variado.

Posso servir os três na noite de Natal ?

A resposta depende muito das preferências e do tamanho de sua família. O Chester acaba levando uma vantagem na nossa mesa porque, como é um parente do frango, é muito mais familiar ao gosto do brasileiro. O tender complementa bem como uma segunda opção para quem prefere carne vermelha ou quem simplesmente quer experimentar sabores bem diferentes na ceia de Natal. Mas, se as três opções forem muito para a noite do dia 24, que tal escolher uma para o almoço do dia seguinte e assim aproveitar todos esses sabores maravilhosos no seu final de ano? Adoro !

Chester com calda de laranja

1 chester de aproximadamente 4kg

Água, quantidade suficiente

5 colheres (sopa) de vinagre

1 copo de água (200mL)

2 dentes de alho

1 cebola média picada

2 envelopes de tempero para aves

1 colher (café) de sal

Farofa:

3 colheres (sopa) de manteiga

1 cebola média picada finamente

1 dente de alho amassado

1 envelope de tempero para aves

1 colher (café) de sal

2 cenouras raladas em ralo médio

1/2 xícara (chá) de nozes

1/2 xícara (chá) de castanha de caju

1 colher (sopa) de uva passa ( branca ou preta )

2 colheres (sopa) de cebolinha cortada

1 1/2 xícara (chá) de farinha de milho amarela

Calda de laranja:

Suco de 5 laranjas

1 colher (sopa) de açúcar

1 colher (sopa) de manteiga

3 cravos da índia

Modo de Preparo

Chester: lave o chester por dentro e por fora. Em um recipiente, cubra o chester com água, adicione o vinagre e deixe por 15 minutos. Em seguida, retire o chester e seque-o, tanto por dentro como por fora.

Em um liquidificador, coloque a água, o alho, a cebola, o tempero para aves, o sal e bata. Despeje o tempero obtido sobre o chester e espalhe por dentro e por for. Deixe marinar por 12 horas, virando o chester de vez em quando para saborear por igual.

Farofa: em uma panela, doure levemente a cebola e o alho na manteiga. Acrescente o tempero para aves, o sal, as cenouras, as nozes, a castanha de caju, a uva passa e a cebolinha. Finalize com a farinha de milho, mexa bem e reserve.

Calda de laranja: em uma panela, coloque o suco de laranja, o açúcar, a manteiga e os cravos. Leve ao fogo para ferver por cerca de 10 minutos ou até que engrosse (calda). Desligue e reserve.

Montagem: coloque o chester em uma assadeira e recheie com a farofa. Com uma agulha e linha grossa costure a abertura para que o recheio não caia para fora. Amarre também as patas com o barbante. Cubra a assadeira com papel alumínio e leve para assar em forno pré-aquecido a 200°C por cerca de 2 horas. Retire o papel alumínio e volte o chester ao forno para dourar.

Sirva o chester com a calda de laranja

Dica: para um dourado mais brilhante, besunte o chester com a calda de laranja e leve de volta ao forno por cerca de 5 minutos.

Foto

Fabiana Justo

ver mais

mais de Fabiana Justo

Comentários:

1