Descendentes do fundador de São Roque visitam a cidade na festa de aniversário

Descendentes do fundador de São Roque visitam a cidade na festa de aniversário

Na manhã de sábado (dia 13), recebi a ligação do amigo Rodolfo de Lucca Júnior para contar que parentes distantes do fundador da cidade estavam na Praça da Matriz.

Minutos depois encontrei, Sheila Ferreira Paes de Barros, acompanhada da mãe Yara Paes de Barros, que foi casada com Clóvis Paes de Barros, e do sobrinho Thiago Paes de Barros. Gravamos um vídeo atrás da Igreja da Matriz onde está o monumento em homenagem ao terceiro centenário de São Roque em 1957.

Eles estavam em companhia da chefe da Divisão de Turismo de São Roque, Elaine Stacevicius, que conheceu Sheila durante a Aviesp – Expo Negócios de Turismo (Associação das Agências de Viagens Independentes o Interior do Estado de São Paulo), realizada em agosto em Campinas.

“O meu sobrenome chamou a atenção dos representantes de São Roque e combinamos uma visita em agosto que coincidiu com a festa de aniversário de São Roque”, comentou Sheila, que apresenta o programa Momento Zen, na TV Cidade de Teresópolis (Rio de Janeiro).

“Me sinto uma bandeirante na terra dos meus antepassados. Na minha infância São Roque era um garrafão de vinho hoje tenho a oportunidade de conhecer a história da cidade”.

Sheila disse que um primo montou a árvore genealógica da família a partir de Totó Paes de Barros (Antonio Paes de Barros) que é considerado o pai da indústria no Mato Grosso. Totó comandava o estado quando foi morto em uma revolução contra o seu governo.

Sheila disse que o seu parentesco é ligado a Fernão Paes de Barros, irmão de Pedro Vaz de Barros, fundador de São Roque. Eles eram filhos do capitão-mor Pedro Vaz de Barros e Luzia Leme.

Levantamento histórico aponta que Pedro Vaz não foi casado, mas teve nove filhos bastardos, entre eles Brás Leme de Barros que herdou a fortuna do pai. Filho da mameluca Justina, Brás casou-se com a prima Inácia Pais de Barros filha de Fernão.

A família Paes de Barros marcou presença em vários pontos do país, o que pode ser confirmado com a quantidade de nomes de ruas com o sobrenome. “Eles não fundaram Cuiabá, mas tem grande influência no Mato Grosso e Mato Grosso do Sul”, disse Sheila que estava ansiosa para conhecer a casa grande (1650) e a capela de Santo Antonio (1681) construída por Fernão Paes de Barros.

Foto

Vander Luiz

ver mais
Publicidade:

mais de Vander Luiz

Comentários:

1