Plantas que curam (parte 2)

Plantas que curam (parte 2)

- Foto: Divulgação

Continuando o tema das plantas que curam, você sabia que não são apenas aquelas ervas verdes e muitas vezes com fortes cheiros que tem o poder de curar? Sim, existem flores belíssimas que possuem grandes propriedades curativas. Um dos exemplos é a calêndula.

Reforçando pra que fique muito claro, a medicina alopática, química, não pode ser descartada ou negada, mesmo porque em casos mais extremos e urgentes, a medicina natural leva desvantagem, pois possui menor desenvolvimento em termos experimentais. Portanto, sempre que houver dúvidas ou em casos mais agudos, procure um médico de sua confiança, antes mesmo de lançar mão da medicina natural.

Calêndula

Nome científico: Calendula officinalis Nome popular: Calêndula, Mal me quer, Maravilha

Descrição: Erva anual que cresce até meio metro de altura, a calêndula adapta-se em qualquer clima, podendo ser encontrada em estado silvestre ou cultivada em quase todas as regiões do mundo, incluindo o Brasil. Possui folhas ovaladas e verde-palidas e flores compostas por numerosas pétalas de cor brilhante variando do amarelo-claro ao alaranjado.

A calendula tem aplicações não só medicinais, mas também cosméticas e culinárias. As flores, de aroma leve porém bem pouco agradável, contém princípios amargos, pequenas quantidades de óleo volátil e o pigmento ‘calendulina’. Suas pétalas proporcionam delicado sabor aromático, um pouco amargo e cor intensa ao assados, saladas, omeletes, queijo e arroz. Podem ser usadas frescas ou secas. Neste último caso, devem passar pela secagem em ambiente ventilado para que não percam a cor da qual depende o sabor. As folhas frescas, de gosto amargo e salgado, algumas vezes são misturadas às saladas. Supostamente originária da Índia, esta planta tem suas virtudes terapêuticas conhecidas na Europa desde o século XII. Os romanos a utilizavam como substituta do açafrão, enquanto os árabes a acrescentavam à ração dos cavalos de raça por acreditarem que aumentava a força dos vasos sanguíneos. Segundo o folclore alemão, quando as flores da calendula, que se abrem somente durante o dia, permanecem fechadas depois das sete horas das manhã é sinal de chuva.

Cultivo:  Erva rústica, com bonitas flores, muito cultivada como planta ornamental em jardins públicos e particulares. Semeia-se de preferência na primavera e no verão. Propriedades medicinais: A calendula tem propriedades sedativas, sudoríferas, anti-sépticas, cicatrizantes e emenagogas cientificamente comprovadas. Utiliza-se a infusão das flores, excitantes e antiespasmódicas, contra escorbuto, icterícia, inflamações dos olhos, úlceras gástricas e problemas digestivos, também atua no artritismo e doenças nervosas. Externamente as folhas são empregadas como resolutivas nas inflamações purulentas, calos e verrugas.

Indicações de uso:

FERIDAS – cataplasma: esmagar um punhado de folhas e flores frescas de calendula até obter uma pasta, que deverá ser aplicada diretamente ou entre dois panos sobre o local afetado.

GRIPE – Infusão: em 100ml de água quente, colocar 5g de folhas ou flores de calendula. Coar e adoçar, bebendo antes de deitar.

INTESTINO (dores) – Tintura: macerar 15g de flores frescas de calendula em 50ml de álcool a 70°. Depois de 8 dias filtrar o liquido, conservando-o em um vidrinho com conta-gotas. Tomar 10 gotas diluídas em pouca água.

Decocção: cozinhar 2g de folhas e flores de calendulas em 250ml. Coar, adoção e beber durante o dia.

Quer mais dicas sobre plantas que curam? Outras sugestões? Escreva para [email protected]

 

 

Foto

Maria José Barros (Mazé)

ver mais
Publicidade:

mais de Maria José Barros (Mazé)

Comentários:

1