Invasão nas escolas

Invasão nas escolas

- Foto: Reprodução/Internet

Todos acompanharam nas ultimas semanas as ondas de invasões que tivemos em algumas escolas técnicas do estado de São Paulo, além de escolas estaduais e sedes de administrações públicas como o Centro Paula Souza e Assembleia Legislativa de São Paulo.

Acho importante refletirmos sobre os motivos e as atitudes tanto dos estudantes quando dos órgãos públicos. A manifestação a favor dos motivos apresentados como falta de merenda para alunos, a CPI da merenda e a melhoria das condições das escolas são pertinentes e válidas, pois sabemos as dificuldades e problemas que as nossas redes de ensino enfrentam sejam no âmbito municipal, estadual ou federal.

PUBLICIDADEJORNAL DA ECONOMIA JE

Infelizmente percebemos nitidamente que a educação não e prioridade em nosso país, lembrando que é a única forma de mudarmos nosso futuro tanto pessoal, cultural quanto profissional.

Porém acredito que a manifestação começa a perder seu foco quando ocorrem atos que prejudicam o andamento de alguns processos que fazem parte também dessas reivindicações.

Por exemplo, as invasões nas escolas impedindo alunos que querem aulas, professores que estão dispostos a lecionar, podem impactar em problemas para os próprios alunos que estão querendo qualidade na educação, pois ficarão sem aulas, problemas nas reposições e tantas outras consequências que veem junto com essa atitude.

Isso sem falar no caso de depredações e roubos que foram identificados. Nesse ponto a manifestação se transforma em vandalismo. Impedir o funcionamento de sedes administrativas que impactam na vida de professores, alunos e escolas para seu funcionamento e outro ponto a ser discutido.

Como cidadãos devemos sim lutar pelos nossos ideais, nossos direitos e aquilo que acreditamos para a melhoria de nosso pais, porém nunca  devemos esquecer que o respeito , o diálogo e o espaço do outro devem aparecer em primeiro lugar, pois a minha liberdade acaba quando começo a invadir a liberdade do outro.

Até a próxima!

Foto

Prof. Paulo Eduardo Galvez Júnior

ver mais

mais de Prof. Paulo Eduardo Galvez Júnior

Comentários: