Pingo de Ouro: sim ou não?

Pingo de Ouro: sim ou não?

- Foto: Divulgação

Muitas pessoas desconhecem a verdadeira identidade do famoso e bastante usado pingo de ouro.

O pingo-de-ouro é um arbusto lenhoso, originário do México, mas algumas literaturas dizem que ele também é encontrado nativamente do México até a Argentina. O pingo de ouro dourado (Duranta repens ‘alba’), foi obtido por trabalhos de seleção hortícola sobre a espécie típica, de 1,0 a 1,5 m de altura, com ramagem densa e ornamental. Suas folhas possuem coloração amarelo-dourado, principalmente nas folhas jovens. Possui flores e frutos de importância ornamental secundária. Seus frutos amarelos atraem pássaros.A planta é tolerante a geadas, sendo possível cultivá-la em praticamente todo o território nacional.

O crescimento desse arbusto é muito vigoroso por isso para mantê-lo em porte de cerca viva pequena é necessário podá-lo constantemente. Mas quem opta por mantê-lo pequeno, não chega a degustar visualmente das belas flores que a espécie oferece. É muito raro ver um pequeno pingo de ouro com flores. Tanto que a maioria dos meus clientes se espanta quando eu digo que o pingo de ouro tem flores roxas belíssimas! Sim, o pingo de ouro tem FLORES!

As folhas douradas também precisam de muito sol para manter o ‘bronzeado’. Elas podem apresentar um tom de verde maisescuro quando estão na sombra. Além é claro da espécie original Duranta repens – violeteira, que já possui suas folhas na coloração em um tom de verde mais escuro.

Na próxima vez que optar por usar essa planta em seu jardim, busque um lugar onde ela possa se desenvolver plenamente. Eu, particularmente, acho muito triste ver uma cerquinha viva de pingo de ouro.

Em primeiro lugar porque, limitar espaços com cercas vivas bem podadas, deve ser uma opção para um estilo de jardim que acompanha um contexto de arquitetura e esse tipo de arquitetura não é a opção da maioria dos brasileiros, por se tratar de um estilo mais clássico e europeu, genericamente falando, porém, há exceções.

Em segundo lugar, porque limita a planta, força a sua natureza, especialmente por ela ter um comportamento vigoroso, ela sofre demais, deve ser constantemente agredida para se manter. Isso não é natural e ainda demanda tempo e energia para a poda. Pense nisso!

Se você tem alguma sugestão para as próximas matérias ou deseja mais informações sobre outras plantas, entre em contato: [email protected]

Foto

Maria José Barros (Mazé)

ver mais
Publicidade:

mais de Maria José Barros (Mazé)

Comentários:

1