Dependência Tecnológica: um grande problema atual

Dependência Tecnológica: um grande problema atual

- Foto: Reprodução / Internet

No último domingo foi apresentado uma reportagem na Rede Globo sobre a dependência tecnológica.

Como professor e profissional da área de tecnologia acho de extrema importância abordarmos esse tema, visto que e um grande problema social, onde a cada dia temos um grande número de novos dependentes.

Com a invasão tecnológica em nossas vidas, principalmente nas novas gerações, a internet, o celular e demais artefatos eletrônicos começam as fazer parte de nossa rotina e nossas tarefas ficam extremamente dependentes deles.

O celular já faz parte da vida da pessoa, onde fazer uma ligação se torna apenas um detalhe do aparelho, pois a sua interação com a internet, assim como o armazenamento de informações pessoais, jogos, redes sociais, acabam fazendo do aparelho um complemento da vida pessoal.

Existem pessoas que têm uma grande crise de abstinência quando esquecem seus aparelhos em casa, ou quando perdem os mesmos sofrem crises fortes, o que representam sua dependência, podendo facilmente comparar com qualquer outro vício, afinal os sintomas são semelhantes.

Isso acontece também com a internet, redes sociais, jogos, correios eletrônicos e demais ferramentas virtuais. Aceitar a tecnologia e conviver com ela e inevitável, pois faz parte de nossa evolução e por um lado sabemos o quanto ela favorece no desenvolvimento e automatização de vários processos, principalmente em nosso ambiente profissional.

O cuidado que temos que ter e saber mensurar o quanto esses meios estão influenciando em nossa produtividade, ou em nossos relacionamentos pessoais, seja no ambiente familiar ou profissional.

Algumas empresas já começam a analisar a produtividade de profissionais em conjunto com a utilização de celulares, internet e redes sociais, sendo que em alguns pontos restringindo seus acessos ou limitando o período de acesso.

Dentro da nossa vida pessoal e importante avaliarmos a nossa interação familiar sem a influência desses itens em nossa vida social, no relacionamento com amigos e familiares, pois cada vez mais comum vermos reuniões e festas particulares onde ao invés da interação pessoal, observamos cada um em seu celular parecendo que está fora daquele ambiente se isolando no ambiente virtual.

Aos jovens e as crianças a atenção deve ser maior por parte dos pais, sempre observando o período que ficam conectados na Internet, ou jogando, além do seu rendimento escolar que poderá ser afetado. Problemas psicológicos e psiquiátricos podem ser desencadeados com essa dependência também. A supervisão do conteúdo e perfil de programas que estão utilizando também são muito importantes

Mais uma vez a palavra coerência e razão finalizam nosso artigo. Proibir não e o caminho. Orientar, educar e acompanhar fazem parte da solução desse problema o qual não podemos ficar omissos.

Até a próxima!!!

Fonte: Paulo Eduardo Galvez Júnior

Prof. Paulo Eduardo Galvez Júnior

Consultor, Empresário, Professor Universitário, Coordenador de projetos de formação de professores.[email protected]

Foto

Prof. Paulo Eduardo Galvez Júnior

ver mais
Publicidade:

mais de Prof. Paulo Eduardo Galvez Júnior

Comentários:

1