O conceito de amor materno

O conceito de amor materno

- Foto: Reprodução / Internet

            É natural ouvirmos as famosas frases “mãe é mãe” ou “amor de mãe” ou mesmo “amor incondicional”... Mas apesar de serem belos e universais estes conceitos, inicialmente precisamos lembrar que estamos nos referindo a um ser humano que também possui defeitos que podem se arrastar por toda uma vida, coexistindo durante a criação dos filhos. Muitas mulheres possuem o desejo de serem mães, mas será que elas conhecem ou imaginam toda complexidade que se dá a imagem e importância da mãe para um filho?

            Para ser mãe não basta estar habilitada fisicamente para conceber uma criança, pois desde a gestação, o bebê possui um vínculo gigantesco com este corpo em que habita, de forma que se dão praticamente em um só. Após o nascimento, este bebê ainda tentará recuperar a condição primeira de fusão com esta mãe, a mãe como um ser primordial e a criança buscando criar seu mundinho a partir da relação que possuem.

            O bebê é o resultado (fruto) de toda projeção e identificação desta mãe, que és a fundadora de todos os valores e auto representação da criança. É esta mãe o primeiro exemplo de vínculo com o mundo a sua volta. É esta mãe o espelho por onde uma criança torna-se adulto. É esta mãe um dos maiores e mais importantes modelos de identificação.

            De acordo com um grande estudioso (Lacan), a família é um mal necessário, uma vez que a condição humana é prematura, pois cada ser humano nasce prematuro e incapaz de se desenvolver sozinho e a existência da mãe significa “continuidade de vida” de dentro para fora do útero. Esta noção da criança acontece em média até o 3º ano de vida, fase em que ainda se sente como uma continuidade da mãe. Somente a partir desta idade é que esta criança passa a se enxergar como uma personalidade única e separada da mãe.

            A mãe é a representante de fatores essenciais para a formação do ser humano, a partir dela e de seus conceitos se desenvolverão:

- Habilidades sociais - Habilidades para lidar com familiares - Habilidades psicológicas - Habilidades ambientais.

            A harmonia de uma casa, a forma de se relacionar de marido e mulher, a satisfação da mulher em ser mãe, cada fator deve caminhar junto a um ambiente familiar saudável, pois estes conceitos estarão presentes na formação do caráter da criança. Em resumo, a relação estabelecida entre mãe e filho acontece desde os primeiros momentos de vida e será base de segurança, autoconfiança, auto-estima e capacidade para estabelecer relações ao longo da vida adulta.

            Uma mãe tem o poder de usar sua fala para orientar uma criança a compreender a si e ao mundo à sua volta, ajudando a criança a dar significado àquilo que a rodeia. Possui o poder de tratar as informações destinadas a este bebê, transformando, minimizando seus estados de tensão, mal estar e facilitando sua adaptação e bem estar.

            Gigante é o trabalho e envolvimento mental de uma mãe com um filho, transformando e orientando crianças em suas primeiras experiências... Porém não esqueçamos que o amor materno é complexo e imperfeito. A história pessoal de cada mulher, fatores psíquicos, sociais, culturais e profissionais estão todos englobados resultando em um grande desafio.

            Mãe, nosso primeiro espelho, de onde iniciamos o reconhecimento do mundo, de onde nos sentimos amados ou não... E a partir deste primeiro mundo, seres humanos existindo e construindo uma identidade.

            Infelizmente não existem receitas prontas de como ser mãe, assim como não existem mães perfeitas e sim amadas por seus filhos (suas continuações).

Estela Cristina Parra
Psicóloga Clínica e Organizacional
CRP: 06/119083
 

Foto

Estela Cristina Parra

ver mais

mais de Estela Cristina Parra

Comentários:

1